Função e manutenção dos hidrantes na calçada do condomínio

Escrito por 

Domicílios são obrigados a fazer a limpeza e manutenção da caixa do registro de recalque de incêndio, em consonância com as normas técnicas.

As pessoas em geral costumam se perguntar o que são as "tampas vermelhas" localizadas nas calçadas externas dos condomínios. São caixas do registro de recalque de incêndio e aqui vamos esclarecer brevemente algumas dúvidas sobre sua função e manutenção.

Antes de falar sobre estes registros de recalque, é importante lembrar que o calçamento e a devida limpeza e manutenção, em consonância às normas técnicas e às leis locais, é de inteira responsabilidade do imóvel que se encontra imediatamente à frente. Da mesma forma, é responsabilidade do imóvel a manutenção do registro de recalque que ali está, pois se trata de um equipamento particular, pertencente, por exemplo, ao condomínio.

O registro de recalque tem a função de abastecer a coluna de hidrantes da edificação e pode estar instalado no calçamento (conforme fotos 1 e 2 abaixo) ou ainda na fachada da edificação (foto 3).

Fotos 1 e 2 - Tampa para acesso ao registro de recalque

hidrantes

hidrantes

Foto 3 - Registro de recalque instalado na fachada da edificação

Registro de recalque

Fotos Vanessa Pacola

Caso pegue fogo na edificação e a água acumulada no reservatório de reserva para incêndio não tenha sido suficiente para extingui-lo, o Corpo de Bombeiros poderá acoplar o caminhão tanque nessas conexões externas da edificação; essa água manterá o abastecimento da linha de combate a incêndio, ou seja, fornecerá água para os hidrantes da edificação.

É importante relembrar que a água dos reservatórios possui uma reserva de incêndio, a qual não pode ser utilizada para consumo habitual do prédio, vez que, em caso de sinistro, o sistema poderá não ter água suficiente para o combate às chamas e extinção do incêndio. Não menos importante, devemos lembrar também que a bomba de incêndio deve ser ligada a cada 60 dias para testes e manutenção. Igualmente, deverão ser observadas as orientações contidas nos manuais fornecidos pela construtora. Nestes documentos são encontradas todas as informações necessárias para manter o sistema funcionando adequadamente. É importante frisar que o sistema de combate a incêndio e preservação da vida é composto por diversos elementos e que cada um deles precisa passar por manutenções preventivas próprias, visando sempre ao seu perfeito desempenho em caso de necessidade de uso.

Como normalmente está instalado na área externa da propriedade, o registro de recalque tem suas peças mais expostas à ação de intempéries. Não é raro observar durante as inspeções de rotina o acúmulo de água de chuva, de terra, folhas e lixo. A limpeza periódica do local é fundamental para evitar o desgaste prematuro das peças. Também não menos raro e facilmente detectável em inspeções de rotina é a ocorrência de vandalismo, ou mesmo furtos de partes e componentes. O zelador do condomínio deve ser orientado quanto à periodicidade semanal de inspeções visuais, evitando surpresas caso o sistema precise ser utilizado.

É responsabilidade de todos colaborar com o síndico para o bom funcionamento dos sistemas de prevenção e combate a incêndio do prédio, avisando-o imediatamente em casos de porta corta-fogo desregulada, extintores fora de normas estabelecidas ou até mesmo o caso de algum vizinho estar armazenando material diverso em escadas de emergência ou rotas de fuga.

O perfeito funcionamento do sistema de combate a incêndio é vital para a preservação da vida dos usuários em uma emergência.


Matéria complementar da edição - 237 - agosto/2018 da Revista Direcional Condomínios

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.


Vanessa Pacola Francisco

Profissional graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Guarulhos (UnG). Pós-graduada em Perícias de Engenharia e Avaliações de Imóveis pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP). Coautora do Livro Vistoria de Vizinhança (Editora Leud); Coordenadora do GT de Harmonização Técnica do IBAPE/SP Biênio (2018 – 2019). Foi ainda coordenadora da Câmara de Inspeção Predial do IBAPE/SP (entre 2012 e 2015); colaboradora de comissões de certificações de construtoras e da ABNT; e responsável pela coordenação e elaboração das Cartilhas "Inspeção predial: A saúde dos edifícios”, "Inspeção predial: Prevenção e combate a incêndios", “Inspeção Predial: Acessibilidade”, Inspeção Predial: Mecanização” e “Inspeção Predial: Equipamentos e Espaços de Lazer”, editadas pelo IBAPE/SP, entre outras publicações. É especialista em acessibilidade e em perícias relacionadas a plágio arquitetônico. Ministra cursos e palestras sobre inspeções prediais, vistoria de vizinhança, vícios construtivos e acessibilidade prática e com enfoque em perícias. Sócia da Foco Consultoria. Mais informações: vanessa.pacola@fococonsultoria.com.