Quinta, 12 Setembro 2019 00:00

Sarampo chega aos condomínios em SP, saiba como lidar com o problema

Por

A Secretaria Estadual de Saúde informa que o número de casos de sarampo no Estado chegou a 3.591 na quarta-feira, dia 11/09/2019. A doença é altamente contagiosa e pode matar.

Dos casos de sarampo registrados no Estado de São Paulo, 60% (2.179) se concentram na Capital Paulista, segundo informa o Portal G1. O número vem crescendo a cada semana e no mês de agosto foram registradas três mortes, o que não ocorria desde 1997. Como a doença é de rápida disseminação, postos de saúde têm informado aos síndicos quando são identificados moradores doentes em seus respectivos prédios.

Esse foi o caso da síndica Lurdes de Fátima Afonso, de um prédio residencial da Vila Mariana, na zona Sul da cidade. Assim que foi notificada da ocorrência de um caso entre seus moradores (o nome do doente é mantido em sigilo pelo serviço de saúde), ela promoveu uma campanha de vacinação no prédio – foram imunizados cerca de 40 moradores, com doses administradas pelos funcionários do posto, afirma.

Para o especialista e empresário da área de prestação de serviços em condomínios, Amilton Saraiva, é necessário que o condomínio fique atento ao aumento da doença. Uma das alternativas é justamente realizar campanhas internas visando incentivar os moradores: "Isso pode ser feito a partir de cartazes, que devem trazer as principais informações — local da vacinação, horário de atendimento e riscos à saúde", comenta.

Ele recomenda que, para evitar maior proliferação, se realize a limpeza dos locais de forma contínua. Ambientes compartilhados, onde há frequência diária de pessoas e compartilhamento de áreas como elevadores e corrimões, precisam ser bem higienizados, aponta em texto divulgado à imprensa.

Ele completa: É possível se precaver evitando o contágio com o vírus, porém, em todo o caso, quando o proprietário estiver doente, o ideal é manter-se em casa, e caso os sintomas permaneçam ou piorem, sempre procurar um médico. De forma preventiva, é importante cobrir a boca e o nariz ao tossir e espirrar, usar lenços descartáveis para a higienização do nariz, não tocar nos olhos nem no nariz e dar preferência aos locais arejados. Lugares com grande movimento ou aglomeração de pessoas, como transporte público, salas, condomínios, entre outros, precisam de cuidados específicos para evitar a proliferação de bactérias. (Com informações da Estilo Press Assessoria de Imprensa)

Campanha de vacinação

De acordo com o Portal G1, as Unidades Básicas de Saúde estão atendendo a todos os interessados em receber a dose da vacina, seja a inicial , seja o reforço.

Mas a campanha obrigatória busca vacinar bebês de seis meses a um ano incompleto (e a partir de um ano eles deverão receber uma dose da tríplice viral e aos 15 meses uma dose da tetravalente); aqueles que até 29 anos não receberam duas doses válidas da tríplice viral; e, entre 30 a  59 anos, deverão ser vacinados os que nunca receberam ao menos uma dose. Confira na tabela abaixo.  

Calendário Vacinal, componente Sarampo, por faixa etária, Estado de São Paulo, 2019  

Faixa etáriaSituação

< 6 meses

Não devem ser vacinados

6 a 11 meses

Uma dose (dose zero, não válida)

1 a 29 anos

Duas doses (válidas)

30 a 59 anos

Uma dose (válida)

> 60 anos

Não precisam ser vacinados

Fonte: CVE (Centro de Vigilância Epidemiológica / Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo – acesso em 11/09/2019)