Quadras de condomínios - Equipamentos e Acessórios

Escrito por 

Do piso aos alambrados, as quadras esportivas do condomínio merecem atenção constante. O piso deve ser repintado sempre que necessário, assim como a estrutura dos alambrados. A tela do alambrado pode ser esticada por empresa especializada quando for verificada a formação de abaulamentos. Mas, além dessas manutenções frequentes, há acessórios que também precisam de cuidados. Postes, redes e traves costumam sofrer os efeitos do tempo e do uso constante.

O professor de Educação Física Marcelo Mancini, acostumado a prestar serviços em condomínios, nota que é comum não destinar um local apropriado para a guarda desses equipamentos. “Eles ficam jogados ao lado das quadras, no sol e na chuva, o que diminui a vida útil desses acessórios. Outro problema é que não há uma pessoa para fazer as trocas dos postes de vôlei e tênis no dia a dia, ficando a cargo do morador, que na maioria das vezes não sabe realizar esse tipo de serviço. Daí é frequente haver quebra dos equipamentos e até queda dos postes no piso, ocorrendo buracos”, comenta.

A também professora de Educação Física Juliana Crepaldi aponta que as quadras poliesportivas precisam estar equipadas com traves para a prática do futsal e handebol, ter furações no solo ou ganchos nas paredes para fixação da rede de voleibol e tênis, e ainda tabelas de basquete com os aros de cesta. “Apesar de terem boa durabilidade, esses materiais necessitam ao menos de lavagem uma vez ao ano e pintura periódica”, recomenda Juliana.

Marcelo Mancini completa que a manutenção depende muito do uso, mas ele indica cuidados quinzenais com os acessórios. Enoque Oliveira, gerente do Condomínio Acervo, no Alto de Pinheiros, não descuida das duas quadras do condomínio, uma de tênis e outra poliesportiva. Com quatro torres e 200 apartamentos, o Acervo tem uma grande utilização de suas quadras. “Principalmente a de tênis é muito procurada. O morador não pode esperar, deve estar sempre tudo em ordem. A manutenção é baseada nos relatórios que os professores da empresa esportiva nos enviam”, relata Enoque.

O gerente faz um check-list de todos os itens, acompanhando os prazos para as próximas manutenções ou substituições. “Não esperamos estragar para trocar. As redes de tênis, por exemplo, são trocadas a cada seis meses, chova ou faça sol”, admite. Como a demanda pelo uso das quadras é grande, o agendamento é feito através da internet. Enoque procura facilitar a vida dos moradores oferecendo sempre facilidades. “Providenciei até um carrinho para as bolas de tênis. Antes os professores carregavam as bolas em um balde, perdendo até o encanto do esporte”, compara.

Além dos cuidados com os acessórios, o condomínio deve manter as quadras com as medidas e demarcações corretas para cada modalidade esportiva. Para Marcelo Mancini, mesmo empresas que constroem quadras costumam cometer erros, como deixar os postes de luz dentro das quadras, o que não é indicado, pois prejudica a prática esportiva e pode causar acidentes. Recomenda-se que a estrutura da iluminação seja fixada no corpo do alambrado, evitando furações no piso e danos à impermeabilização.

Matéria publicada na Edição 163 - nov/11 da Revista Direcional Condomínios.