Globalização aumenta presença de estrangeiros nos condomínios. Veja como evitar confusões com a diversidade linguística e cultural

Escrito por 

O intercâmbio de profissionais gerado pela globalização da economia e a proximidade da copa do Mundo de 2014 impõem novo desafio aos condomínios: comunicar-se em inglês, francês, espanhol, chinês e coreano com esses novos moradores e visitantes.

O tema ainda não ganhou corpo nas preocupações diárias das administrações de grande parte dos condomínios, mas alguns síndicos já enfrentam uma situação no mínimo delicada: como avisar a um morador estrangeiro sobre os horários de coleta do lixo dos halls internos dos apartamentos? Ou cobrá-los para as festas de confraternização dos condomínios, que muitas vezes são pagas na hora do evento pelos participantes?

O inglês ou o espanhol, de certa maneira, sempre encontram um tradutor, afinal, os idiomas estão inseridos na matriz curricular das escolas brasileiras. Mas as línguas baseadas nos ideogramas, como o coreano e o chinês, muito distantes da tradição românica (que deu origem aos idiomas latinos), podem transformar a interlocução entre os moradores e as administrações condominiais em uma "conversa de surdos". "Parte de nossa equipe administrativa tem noções de inglês, mas para nos comunicarmos com os coreanos precisamos contratar um tradutor juramentado", afirma o síndico Paulo Ganut, do Condomínio Villagio Panamby, da zona Sul de São Paulo.

Cerca de 10% de seus moradores são estrangeiros, estima Paulo, o que representa pelo menos 400 pessoas dentro de um universo de quatro mil residentes. Ele atribui o fenômeno à proximidade do empreendimento com dois centros empresariais importantes da Capital paulista, bem como ao perfil do local, um grande condomínio- -clube. No caso, o tradutor entra em cena quando é preciso enviar cartas e comunicados aos moradores, com versões em coreano. Já para os principais espaços de convívio da área comum, como no grande clube de lazer do condomínio, as placas que expressam as regras de uso estão redigidas nos três idiomas: português, inglês e coreano. Mas algumas saias justas acontecem às vezes, como o choque entre os hábitos dos moradores brasileiros e estrangeiros, o que leva a administração do condomínio a solicitar o auxílio das empresas em que estes atuam, de maneira a facilitar a comunicação.

A diversidade também é a marca do Condomínio Personal Place, edifício com 150 apartamentos de um dormitório localizado em área nobre e central de São Paulo, nos Jardins. Com grande rotatividade e 60% das unidades locadas, o residencial possui "morador inglês, norte-americano, chinês, equatoriano e chileno", descreve o gerente predial Almir Cesar Carvalho. Para acompanhar a toda essa mobilidade, Almir resolveu frequentar, por conta própria, um curso de espanhol. No entanto, sem noções de inglês, ele diz que recorre ao email e ao programa de tradutores da internet para fazer a comunicação com moradores que falam apenas este idioma. Em relação à Copa de 2014, Almir avalia que "a organização e a preparação da cidade para o evento está muito lenta". De qualquer maneira, pelo menos no domínio do espanhol, ele pretende estar bem afinado até lá.

RECEPÇÃO BILÍNGUE

Entre muitos comerciais, a realidade não é diferente, ou seja, falta estrutura adequada para lidar com visitantes estrangeiros e alguns sentem falta de ter, pelo menos, uma recepção bilíngue. É o caso do Condomínio Edifício Plaza JK, localizado no Itaim Bibi e que abriga escritórios de grandes empresas, algumas multinacionais. Por ali circulam pelo menos 1.500 visitantes por dia. "Existe necessidade de um atendimento bilíngue, mas o custo teria que ser repassado aos condôminos e a taxa condominial já é bem elevada", justifica o síndico Sérgio Freitas.

Por isso, o jeito foi combinar um procedimento entre a administração e os condôminos: ao chegar um estrangeiro, o funcionário da própria empresa desce até a portaria e faz a recepção ao visitante. De qualquer maneira, a administradora do local tem priorizado a contratação de funcionários que tenham pelo menos conhecimento de inglês e espanhol. Hoje, um dos funcionários da administradora que atua no condomínio fala ambos os idiomas, explica Sérgio.

O administrador de condomínios Marcelo Mahtuk afirma que os comerciais de alto padrão, denominados "triple A" (empreendimentos inteligentes), contam, em geral, com recepção bilíngue. Quanto aos residenciais deste perfil, ele diz que mantém em dez condomínios, "onde o inglês é muito fluente", um administrador bilíngue ou que entenda bem o idioma. Nesses casos, os comunicados são vertidos ao inglês, mas a sinalização permanece em língua portuguesa. "Afinal, eles também têm que se aculturar", defende Mahtuk. Trabalhando há 24 anos no segmento, o administrador acredita que São Paulo receba hoje mais estrangeiros em função da globalização, mas anteriormente houve períodos com forte presença de norte-americanos e, depois, de alemães, diz.

No momento, a bola da vez está com os coreanos, com os quais, inclusive, se observa um "choque de cultura". Muito pacíficos e educados, eles são, porém, bastante reservados e não deixam muito espaço para a aproximação, o que deve ser respeitado pelos demais condôminos e funcionários, observa Marcelo. Outra peculiaridade está na falta de documento de identificação, é preciso criar normas de acesso específicas, pois eles não possuem carteira de identidade, apenas passaporte. E claro, os comunicados mais importantes devem ser traduzidos para o idioma deles.

GOVERNO ABRE INSCRIÇÕES PARA O "PRONATEC IDIOMAS"

O Governo Federal estima que a Copa de 2014 trará pelo menos 600 mil novos turistas estrangeiros ao Brasil, além dos cerca de 5 milhões que costumam visitar o País anualmente. Por isso, o Ministério do Turismo está investindo em cursos de capacitação aos brasileiros que irão trabalhar direta ou indiretamente com a competição, especialmente nas cidades que sediarão os jogos. São Paulo é uma das cidades-sede e, até o dia 30 de novembro, estará recebendo inscrições de estudantes e trabalhadores com mais de 18 anos que queiram cursar inglês ou espanhol gratuitamente. Os cursos estão sendo oferecidos dentro do programa "Pronatec Copa/ Pronatec idiomas".

Mais informações através do endereço eletrônico http://pronateccopa.turismo.gov.br/pronatec/hotsite/index.html.

Matéria publicada na Edição 174 - nov/12 da Revista Direcional Condomínios.