Na escolha do piso da área de fitness, síndico deve priorizar segurança

Escrito por 

Oferecer um ambiente seguro e moderno à prática desportiva nas academias tornou-se mais uma das responsabilidades incorporadas pelos síndicos na sociedade atual. E um revestimento adequado faz toda diferença na área de fitness, porque ajuda a evitar acidentes e manutenções desnecessárias. Segundo o personal trainer Daniel Leite, quando o piso da academia não é apropriado às atividades físicas, o usuário corre o risco de sofrer lesões nas articulações, comprometendo seu conforto, desempenho e mesmo a saúde.

“Para evitar esse tipo de situação, o ideal é utilizar materiais emborrachados, pois eles absorvem melhor o impacto e são mais resistentes”, diz. “Além disso, mesmo suportando materiais pesados, não deterioram com facilidade.” A sugestão de Daniel é confirmada pela arquiteta Guiomar Leitão, que indica os pisos emborrachados vinílicos ou de PVC em mantas para esses espaços. São revestimentos que atendem a atributos indispensáveis às superfícies das academias: ser antiderrapantes, lisas, resistentes e ter maior capacidade de absorção de ruídos, afirma Guiomar. A arquiteta desaconselha pisos de cerâmica, exceto se feitos em “porcelanato de altíssima resistência e também antiderrapante”, o que se torna uma opção mais cara e trabalhosa para os gestores condominiais.

A instalação dos emborrachados ou PVC geralmente é muito prática, eles podem ser colocados sobre um piso já existente – exceto quando a base for de tacos de madeira ou de ardósia em mau estado de conservação. Nestes casos, recomenda-se a retirada do revestimento anterior. Na busca por fornecedores, o síndico deve conhecer detalhadamente as propostas de cada empresa, atento a questões como garantia e instalação. Vale lembrar que nem sempre o mais barato traz um bom custo e benefício ao prédio, pois materiais mal instalados ou de qualidade ruim exigirão manutenções regulares, culminando na necessidade de troca do revestimento antes do indicado.

Quanto à manutenção, Guiomar Leitão diz que água e pano simples são suficientes. Segundo a arquieta, “outra vantagem dos pisos adequados para a academia se encontra na proteção contra fungos e bactérias”. Mas Guiomar alerta que o síndico deve tomar cuidado para que não entre água externa no ambiente. “As portas precisam estar bem protegidas, pois um contato direto pode diminuir a vida útil do piso.”

Ana Josefa Pereira, síndica do Condomínio Piazza Di Toscana, realizou mudanças na academia do prédio em 2012. E o piso não escapou das reformas. Ela conta que um condômino organizou o projeto, e sugeriu a instalação do material emborrachado. Depois da realização de um estudo sobre o melhor material e fornecedor, o condomínio, que conta com cinco torres e 168 apartamentos, optou pelo vinílico, o qual tem se mostrado resistente e antiderrapante.

(Reportagem Rafael Lima)

Matéria publicada na edição - 183 de set/2013 da Revista Direcional Condomínios