Vazamento, consumo & o gasto maior com a água na pandemia

Escrito por 

A atenção diária para possíveis vazamentos nas áreas comuns e unidades faz grande diferença no controle do consumo d’água nos condomínios.

Síndica

Síndica Rosana Nicchio ao lado do registro de entrada de água no condomínio: Duas verificações diárias

A síndica Rosana Nicchio promove duas verificações diárias no registro de entrada da concessionária no Condomínio Siena Tower, localizado em Santana, zona Norte de São Paulo. O zelador Sérgio Mário da Silva anota os dados às 8h e às 16h, exceto aos domingos. Além disso, Rosana organiza um gráfico comparativo mensal com os dados da conta. Quando os números começam a saltar a média, é dado o alerta aos condôminos para que procurem vazamentos e controlem o tempo no banho, entre outros.

“Se ultrapassarmos o consumo de 500 m³/mês seremos penalizados pelo sistema de cobrança da Sabesp”, costuma observar a síndica em comunicado aos moradores, explicando-lhes que se o teto for estourado, “nossa conta poderá chegar rapidamente a R$ 5.000,00 (acima da previsão orçamentária), refletindo no aumento do valor da cota condominial em pelo menos R$ 100,00”. A Sabesp pratica valores progressivos do m3 de água e da taxa de esgoto, conforme a faixa de consumo.

No Siena Tower, as 24 unidades dispõem de até seis prumadas, o que torna proibitivo o custo da individualização, observa. E até 2020 a previsão orçamentária estipulava R$ 2.500 para a conta mensal da água, soma que foi ultrapassada entre os meses de abril a janeiro de 2021, quando houve aumento de consumo, não apenas pelo maior número de unidades ocupadas (eram três vazias até novembro), como pela quantidade de mais pessoas em home office e, ainda, por vazamentos em caixas acopladas (identificados por três moradores). “Em 2020, por causa da quarentena, não fizemos a vistoria anual de rotina nos apartamentos, mas orientamos os moradores que fizessem. Em 2021, retornaremos com a programação”, afirma a síndica. O serviço é de responsabilidade do zelador, que também realiza vistorias constantes nas áreas comuns e recebeu treinamento para o trabalho.

Na previsão orçamentária de 2021, aprovada em novembro de 2020, o valor da conta mensal de água nos gastos ordinários foi reajustado para R$ 3.100,00, entretanto, Rosana diz que está “otimista, esperando que as pessoas comecem a ter mais responsabilidade sobre o consumo d’água”. Para tanto, a síndica reitera, periodicamente, os cuidados a serem observados por todos: Reduzir o tempo de banho; regular a temperatura do aquecedor de gás (que diminui a necessidade de uso do misturador); coletar com balde a água do chuveiro enquanto não é aquecida (esta poderá ser utilizada na limpeza geral); racionalizar o uso da máquina de lavar; fechar a torneira ao escovar os dentes, fazer a barba, ensaboar a louça etc.; fechar os registros em caso de ausência prolongada; orientar-se com o zelador sobre a regulagem do nível da boia das caixas acopladas, entre outras medidas.


Matéria publicada na edição - 265 - mar/2021 da Revista Direcional Condomínios

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.