Liberação de áreas chegou ao espaço gourmet e churrasqueiras em condomínio no Tamboré (SP)

Escrito por 

Reabertura de áreas aconteceu em agosto e segue plano traçado por uma comissão de moradores, com protocolo de biossegurança para evitar o contágio do novo Coronavírus. Na sequência, também foi reaberta uma lanchonete.

áreas comuns

Os condomínios têm procurado aplicar protocolos oficiais de saúde e de flexibilização das atividades sociais e econômicas para definirem uma programação de liberação de áreas comuns (de lazer e serviços). Em um condomínio-clube localizado em Santana do Parnaíba, bairro do Tamboré, na Região Metropolitana de São Paulo, o Conselho (que possui mais de 20 membros) e está subdividido em diferentes comissões, deixou uma delas como responsável por buscar e mediar as orientações ao corpo diretivo na tomada dessas decisões.

De acordo com o síndico profissional Carlos Azevedo Fernandes, a comissão possui condôminos da área médica, que ajudam a definir regras de distanciamento social, horários, quantidade de pessoas possíveis em um mesmo ambiente, entre outras restrições. Além disso, as liberações são respaldadas por parecer da área jurídica.

Por exemplo, quando foi liberada a academia, os equipamentos acabaram deslocados para um terraço externo, cujas laterais são abertas. Entre julho e agosto, houve duas etapas de liberação, envolvendo também ambientes fechados. Na prática, o condomínio de seis torres e 360 unidades, distribuídas em uma área de 40 mil m2, passou por cinco fases em seu cronograma de reabertura, conforme descreve abaixo o síndico Carlos Fernandes:

- 1ª Fase / Junho de 2020: Liberação do salão de beleza, solicitada pela maioria dos condôminos, com marcação prévia de horário e limite no número de pessoas em atendimento, seguindo, de acordo com o gestor, “um protocolo de biossegurança bastante rígido”;

- 2ª Fase / Junho de 2020: Áreas abertas: Academia;

- 3ª Fase / De julho à 1ª quinzena de agosto de 2020: Quadras, salões de jogos adulto e infantil (também com o deslocamento dos equipamentos para espaços abertos). As salas de ioga e pilates receberam alguns recursos do fitness para a prática com acompanhamento de personal trainer;

- 4ª fase / 2ª quinzena de agosto de 2020: Liberação da piscina climatizada coberta, brinquedoteca, sala de massagem, ateliê, salão gourmet e churrasqueiras.

A seguir, o protocolo adotado nesses ambientes:

Churrasqueira 1: Horário das 10h às 22h, com reserva prévia através do site da administradora. Apenas para uso simultâneo de duas famílias com até 10 pessoas, todas residentes no condomínio; 

Churrasqueira 2: Mesmas condições acima, mas aqui há capacidade de receber simultaneamente até três famílias com 15 pessoas, também moradoras;  

Salão Gourmet: Horário das 10h às 22h. Utilização somente através de reserva pelo site da administradora. Uso permitido de até três famílias simultaneamente (com até 15 pessoas), todas residentes.           

Piscina climatizada coberta: Horário: das 6h à meia-noite, uso livre, incluindo apoio do personal trainer.  Observação: fechada para limpeza às segundas-feiras; 

Brinquedoteca: Horário das 8h às 22h. Uso exclusivo dos moradores (adultos deverão acompanhar crianças na faixa etária de 0 a 10 anos); 

Sala de Massagem:  Utilização através de reserva no site da administradora;  

Ateliê: Horário das 8h às 22h. Utilização também somente com reserva prévia de uma família por vez;

Salão de Jogos Adultos: Uso livre somente de moradores a partir de 12 anos (abaixo dessa idade apenas com responsável).   

- 5ª fase / Recém-reinaugurada: Liberação da lanchonete.

Neste caso, o protocolo envolve horário de funcionamento (das 8h às 22h), de terça-feira a domingo. Há consumo no local (de pratos rápidos, lanches, salgados, pizzas) em quatro mesas instaladas na área externa, com quatro cadeiras cada. A mesa deverá ser ocupada por apenas uma família.

No momento, o condomínio se prepara para também implantar o autosserviço do mercado, uma franquia que irá operar através do monitoramento das compras por câmeras e pagamento via aplicativo ou cartão.

O síndico afirma que o uso de máscaras é obrigatório em todos os ambientes coletivos, os quais dispõem de tapetes com desinfetante nos seus acessos, além de álcool gel e papel toalha para a higienização.


Matéria complementar da edição - 260 - setembro/2020 da Revista Direcional Condomínios

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.