Limpeza: conservação e recuperação das superfícies

Escrito por 

Da higienização rotineira à limpeza profunda, processos demandam procedimentos, produtos e equipamentos adequados, conforme o grau de sujidade do ambiente.

Para que o condomínio esteja sempre em boas condições, é importante dar atenção à limpeza de conservação das superfícies das áreas internas e externas. Essa higienização varia de acordo com a sujidade e o tráfego local e, além de necessária, promove um intervalo maior até a realização da limpeza profunda, que necessita da interdição do espaço e uso de equipamentos específicos.

Para a limpeza de conservação das áreas externas, os detergentes neutros são os mais indicados. Já para a limpeza profunda, é necessário analisar o tipo de sujidade para que o produto correto seja aplicado. Em relação às áreas internas, um detergente neutro para a limpeza de conservação já é suficiente.

Apesar de não haver uma regra em relação aos períodos de limpeza, existe a necessidade da retirada imediata da sujeira para evitar sua impregnação, uma possível infiltração, ou até mesmo a deterioração da superfície de determinados pisos. Os mais porosos e sem proteção, por exemplo, carecem de mais cuidados por serem mais suscetíveis. Além disso, quando promovemos uma limpeza profunda decorrente de sujeiras impregnadas, causamos danos às superfícies internas e externas, por conta do uso de produtos químicos e do atrito mais intenso com o movimento de esfregar.

De um modo geral, para remover sujeiras em pó, recomenda-se o uso do mop pó para o piso e a flanela para outras superfícies. Espanador eletrostático também é aconselhado. Já para a remoção de sujeiras solúveis em água, a utilização do mop úmido é recomendada para o piso. Para as demais superfícies, recomendam-se acessórios como fibras de limpeza ou esponjas. Nas escadarias, por exemplo, a enceradeira com disco ou as fibras abrasivas de limpeza específicas para lavagens, também podem ser utilizadas.

Os cantos de cozinhas de salão de festas, banheiros e saunas também merecem uma atenção especial, afinal, sabemos que em superfícies úmidas existe maior proliferação de fungos. Portanto, para evitar o surgimento de bolor é necessário executar uma manutenção eficaz e periódica, sempre utilizando produtos bactericidas para reduzir o que já está ali e produtos bacteriostáticos para evitar essa proliferação.

Para limpar garagens ou quadras de esportes, por exemplo, recomenda-se o uso de lavadoras de alta pressão. Ao comprar um equipamento desse tipo, o condomínio reduz o custo com a água e energia, pois são equipamentos econômicos que colaboram com o meio ambiente, uma vez que se estima que a mangueira convencional gaste dois mil litros a mais do que uma lavadora de alta pressão, sem contar o resultado de uma limpeza mais eficiente.

É importante ressaltar que todos os funcionários que realizam a limpeza dos condomínios devem sempre usar o equipamento de proteção individual (EPI), composto de luvas, óculos e calçados de segurança.

Ernesto Brezzi é diretor da Câmara Setorial de Prestadores de Serviços da Abralimp (Associação Brasileira do Mercado de Limpeza Profissional).
Mais informações: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Matéria publicada na edição - 184 de out/2013 da Revista Direcional Condomínios