Esocial & Ergonomia, segurança e saúde do trabalhador

Escrito por 

O cronograma de implantação do eSocial para pequenos empregadores, entre eles os condomínios, prevê a inserção de dados de Saúde, Segurança do Trabalho e Riscos Ergonômicos (SST) até o dia 1º de janeiro de 2020.

Os gestores têm um ano para regularizar a situação, mas segundo a conselheira fiscal da Associação Brasileira de Ergonomia (ABERGO), Lucy Mara Baú, há “58 itens de riscos ergonômicos a serem levantados por meio da Análise Ergonômica do Trabalho/Laudo Ergonômico”. Segundo ela, dentre os principais riscos ergonômicos relacionados ao trabalho, encontram-se “situações de estresse ocupacional, execução de movimentos repetitivos por período prolongado, postura e iluminação inadequadas, ritmo excessivo de trabalho, jornadas muito longas, monotonia das atividades laborais, controle rígido da produtividade e levantamento e manuseio de cargas”. Antes do preenchimento dos dados, o empregador deverá realizar uma Análise Ergonômica do Trabalho (AET), uma exigência da NR 17 e de seus anexos, recomenda a especialista.


Matéria publicada na edição - 241 - janeiro/2019 da Revista Direcional Condomínios

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.