Problemas mais comuns & Soluções para os pisos de garagem

Escrito por 

O vice-presidente do Ibape-SP (Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia), o engenheiro civil José Ricardo Pinto, repassa a seguir as principais causas de problemas nos pisos de garagem e avalia algumas alternativas de acabamento.

engenheiro civil José Ricardo Pinto

Eng° José Ricardo Pinto

- Em lajes do subsolo (do 1º para o 2º pavimento):

“As manifestações patológicas mais comuns são as trincas, principalmente em lajes tipo cogumelo (nervurada), além do desgaste precoce do acabamento superficial do piso, devido à abrasão, especialmente em lajes com acabamento do tipo zero”;

- Em pisos de superfícies descobertas, tanto em áreas com laje quanto aterro:

“Em lajes descobertas, é comum a ocorrência de trincas no piso cimentado devido à falta e/ou falha nas juntas de movimentação ou, ainda, no caso das juntas, é comum a falta de manutenção nas mesmas. Já em laje sobre aterro, é comum a ocorrência de trincas devido ao recalque decorrente de falha na compactação durante a execução da obra”;

- Erros mais frequentes de manutenção:

“Falta de limpeza dos ralos e das tubulações que escoam as águas pluviais e as águas servidas. Empresas especializadas podem fazer este serviço, denominado hidrojateamento”;

- Vantagens e desvantagens de diferentes soluções (concreto usinado, cimentado, epóxi):

“O concreto usinado é normalmente utilizado, mas não é usual sua preparação no canteiro de obra. Ele tem como vantagem o controle tecnológico quando de sua produção. Não existe nenhuma desvantagem em se utilizar o concreto usinado, nem mesmo em termos de custo”;

“O cimentado é usado nas lajes descobertas. Ele pode ser o acabamento, mas não necessariamente é utilizado um material mais nobre. Sua vantagem é o baixo custo e a facilidade de manutenção. Porém, como desvantagem, ele apresenta aspecto estético mais simples. Em garagens com laje do tipo zero esta etapa de serviço não existe”;

“O epóxi é muito utilizado em obras de alto padrão em função do alto custo. Tem como vantagem o acabamento refinado, facilidade de execução dos serviços de limpeza e conservação e proteção da estrutura (laje). A desvantagem está no caso da necessidade de um reparo, pois o mesmo ficará ‘marcado’.”


Matéria publicada na edição - 233 - abril/2018 da Revista Direcional Condomínios

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.