Roteiro ilustrado de reforma e manutenção de quadras nos condomínios

Escrito por 

Fissuras, desgastes da pintura ou piso, poças d'água e acessórios deteriorados comprometem a segurança e o desempenho dos usuários nas quadras poliesportivas dos condomínios. O engenheiro civil Eduardo Araki preparou um roteiro ilustrado aos síndicos para orientar a manutenção, reforma ou construção de quadras poliesportivas.

Para aumentar a vida útil do revestimento

É possível aumentar a vida útil do revestimento da quadra esportiva através de manutenção adequada e frequente. Deve-se também dar manutenção aos acessórios que compõem a quadra: alambrados, traves, telas, tabelas de basquete etc.

Além de fazer a manutenção regular do piso, o síndico deve:

- Evitar o uso inadequado da quadra. Este é um fator importante para preservar o revestimento. Não se deve permitir a entrada de skates e patins e os usuários devem utilizar calçados adequados ao tipo de piso;

- Manter ralos e drenos desobstruídos para evitar a formação de poças, fator de desgaste do piso;

- Tratar pequenas fissuras, pois, com tempo, elas vão se alargando;

- Evitar a entrada de veículos ou a instalação de cargas pontuais (piscinas infláveis ou vinílicas, por exemplo), pois os pisos de quadras esportivas geralmente não são projetados para grandes pesos.

Opções de revestimento

Existem basicamente dois tipos de pisos de quadras poliesportivas para condomínios: O de concreto e o asfáltico. Estes tipos de pisos possibilitam a prática dos esportes coletivos mais comuns em condomínios, como futebol, vôlei e basquete. Existem ainda pisos específicos para alguns esportes, como o saibro para tênis e a grama sintética para futebol society.

O piso asfáltico é o mais indicado, pois permite uma superfície lisa, sem juntas. Este piso possui uma "maciez" característica que dá mais conforto ao usuário. Porém, ele gera mais manutenção. Já o de concreto é mais robusto, necessita menos manutenção e tem excelente vida útil. Mas não tem o mesmo nível de conforto para a prática de esportes que o piso asfáltico. Ainda, entre estes dois tipos de piso, o mais econômico para execução é o de concreto.

Cuidados ao projeto e construção de uma quadra externa

A implantação de uma quadra esportiva deve seguir os mesmos cuidados que qualquer outro tipo de construção. Contrate um engenheiro para executar o projeto e acompanhar a obra. O engenheiro deve analisar o solo, pois uma quadra tem o que chamamos fundação rasa. Se for necessário fazer a terraplenagem do local, o aterro deverá ser bem compactado.

Figura 1. Piso de concreto (Composição)

 

(Fonte http://www.topsporteng.com.br)

Figura 2. Piso asfáltico (Composição)

(Fonte http://www.topsporteng.com.br)

Instalações essenciais à quadra

Todo piso em área externa deve possuir declividade para escoamento de águas pluviais e, no caso de quadras, não é diferente. O projeto e construção da quadra deve prever o escoamento da água da chuva e drenos ou grelhas para captá-la nas bordas das quadras (vide Figura 3).

Ainda: Quadras com piso de concreto devem possuir juntas de dilatação devido ao trabalho de expansão e contração do concreto exposto ao tempo (sol e chuva, dia e noite). Já pisos asfálticos não necessitam de juntas de dilatação.

Figura 3. Grelha na borda da quadra

Foto Eng. Civil Eduardo Araki

Reforma

A reforma de quadras deve observar não apenas o aspecto da superfície. Podem existir problemas nas camadas de construção, na fundação e mesmo desagregação de materiais. Vemos na Figura 4 abaixo um exemplo de quadra que teve um problema de fundação, que causou fissuras no piso.

Figura 4. Fissura devido à fundação

Desgastes mais comuns

Os problemas mais comuns são desgaste da pintura e marcas no piso causadas por uso inadequado. Existem outros casos específicos encontrados como os relatados a seguir.

Na Figura 5 abaixo observamos fissuras no piso ao redor da haste da rede em formato retangular. Podemos verificar que esta fissura se deu pelo deslocamento da base de apoio da haste. Esta base de concreto é "embutida" no piso.

Figura 5. Fissura em quadra

Foto Eng. Civil Eduardo Araki

Na Figura 6 é possível observar como deve ser este apoio.

Figura 6. Base de apoio da haste

Ilustração Eng. Civil Eduardo Araki

Outra ocorrência é o desgaste da pintura devido ao empoçamento d'água, conforme mostra a Figura 7. Este é um dos principais elementos de desgaste de materiais de construção, pois seu acúmulo permite o surgimento de patologias, fissuras, carreamento de materiais finos e consequente degradação da matriz do material.

Figura 7 - Empoçamento d'água

Foto Eng. Civil Eduardo Araki

Por fim, na Figura 8 observa-se um caso de desagregação de piso asfáltico.

Figura 8 - Piso asfáltico desagregado

Foto Eng. Civil Eduardo Araki

Eduardo Araki

Eduardo Araki

Graduado em Engenharia Civil pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas, SP), atua na área há mais de 20 anos, em em obras de construção residencial, predial, barragens e pré-moldados. É colaborador da Câmara de Avaliações do Ibape-SP (Instituto Brasileiro de Perícias de Engenharia). Exerce ainda a função de Perito Judicial em Fóruns Cíveis no Estado de São Paulo.
Mais informações: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ; www.arakiengenharia.com.br/blog.

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.