Consultor de segurança dá dicas para montar ou atualizar CFTV do condomínio

Escrito por 

O mercado oferece aos condomínios ampla diversidade de câmeras para compor seu sistema de CFTV.

"De uma forma geral, há câmeras com várias especificações e, ao se elaborar um projeto de segurança, é preciso verificar o ambiente, a infraestrutura e o suporte técnico (preventivo e corretivo) disponível, a tecnologia ofertada e os custos", analisa o consultor Marcy José de Campos Verde, diretor da Associação Brasileira de Profissionais de Segurança (Abseg) e com certificações CPP (expedida pela ASIS International) e ADS (fruto da especialização em Alta Direção em Segurança pelo Instituto de Pós-Graduação da Universidade Pontifícia Comillas de Madri). A seguir, ele enumera as tecnologias disponíveis no mercado (Para mais informações, entre em contato com O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ):

CFTV ANALÓGICO

Ele é composto por câmaras e DVR (gravador) analógicos.

- Uma das formas de especificar uma câmara são as linhas. No caso da analógica, por exemplo, há a de 420, o que equivale aproximadamente a 640 X 480 ou 0,3 Mp (megapixel). Existem ainda câmeras com 800, 900 ou 1000 linhas;

- Sua resolução máxima de gravação é o D1 (720x480);

- Esses sistemas têm menor custo e há uma vasta gama de equipamentos;

- Utilizam sistema de cabo coaxial;

- Todos os equipamentos (DVR e câmaras) se comunicam entre si.

CFTV HD

Existem inúmeras versões no mercado, as primeiras criadas por volta de 2010. Elas permitem a transmissão de vídeo digital em alta definição, além desses benefícios:

- HDCVI (arquitetura fechada): Câmera e DVR no mesmo padrão (HDCVI);

- CFTV AHD (arquitetura aberta): Câmara e DVR no mesmo padrão (AHD);

- CFTV HDTVI (arquitetura aberta): Câmera e DVR no mesmo padrão (HDTVI);

- Utilizam sistema de cabo coaxial ou cabo UTP (par trançado ou cabo estruturado);

- Porém, por deter mais qualidade, essas câmeras exigem mais storage (capacidade de armazenamento) / HDD;

- As câmaras HD focam nas câmaras IP até 2 Mp, sendo mais baratas que as IP com esta especificação;

- A infraestrutura será mais barata se utilizarem o cabo coaxial;

- No Full HD (o padrão da TV digital atual), o sistema precisará trabalhar com imagens a uma resolução de 1920 x 1080 pixels, 30 FPS, de ponta a ponta. Ou seja, as imagens visualizadas no monitor também deverão ter essa resolução e essa mesma taxa de frames.

CFTV IP (Megapixel)

- Utiliza sistema de fibra ótica ou cabo UTP (par trançado ou cabo estruturado);

- Demanda NVR ((Network Video Recorder) ou Software VMS (Vídeo Management Software) na função de gravador;

- Os equipamentos IP possuem uma resolução maior que o HD;

- Porém, novamente aqui, mais qualidade exigirá maior storage / HDD;

- Os monitores devem ser compatíveis;

- Nem todos os equipamentos se comunicam entre si, há padrões de comunicação variados.

CÂMERAS 4K (3840 X 2160 pixels a 30 FPS)

- UHD (Ultra-High Definition), que oferece até 4 vezes mais pixels que a resolução Full HD;

- Capacidade de armazenamento (storage) deverá ser ainda maior (HDD).

Por fim, Marcy J. de Campos Verde destaca que os gravadores (DVR) analógicos com resolução D1 estão migrando para DVR híbridos (analógico e IP) ou tríbidos (analógico / HD / IP).

Matéria complementar da edição - 217 - out/16 da Revista Direcional Condomínios

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.