Portões Automáticos & Serralheria

Escrito por 

A síndica Rosana Moraes, do Condomínio Edifícios Flávia e Fernanda, localizado no bairro da Aclimação, em São Paulo, destaca a importância de não se improvisar com a manutenção dos portões e grades, cuidados que lhe garantem hoje bastante tranquilidade neste setor.

Mas para chegar a isso, foram feitos alguns investimentos, como a instalação de kits “antiesmagamentos” em todos os portões, três pivotantes e dois basculantes.

“Antigamente, mesmo novos e em bom estado, os portões não eram usados porque os moradores tinham receio de passar por baixo deles”, justifica Rosana. Segundo ela, o uso atual alternado dos portões (que inclui também o de pedestre), “contribui a favor da vida útil deles”.

Depois, há uma empresa encarregada da manutenção preventiva, especializada em portões, feita por meio de visitas mensais. A decisão de contratar a empresa se deu por sugestão do conselho ao antigo síndico, conta Rosana, devido aos constantes consertos e diversos reparos que aconteciam então nos portões. “Importante salientar ainda a presença e o conhecimento do nosso novo zelador, que acompanha sempre o técnico da empresa”, diz Rosana.

Segundo ela, “o zelador é responsável pelo perfeito funcionamento e pela manutenção das áreas comuns do prédio, portanto, ele tem condições de ver como está o funcionamento dos portões e se os mesmos apresentam problemas e precisam de ajustes”.

Rotinas de manutenção com equipe interna

Além disso, conta Rosana, ela estabeleceu, com apoio do zelador, uma rotina onde até o vigia noturno foi orientado a identificar eventuais anormalidades que surjam no dia a dia do prédio. “É feita uma checagem diária e combinamos que sempre que houver algum defeito ou problema nos portões que não possamos resolver, o funcionário terá autonomia para chamar a empresa contratada para fazer o devido reparo.”

A síndica ressalva, no entanto, quecom um contrato de manutenção, você tem condições de prever futuros gastos e fazer um plano de ação para a vida útil dos portões.

No momento, os reparos são poucos, pois recentemente trocamos o motor de um deles e o zelador está sempre fazendo a manutenção dos demais antes mesmo da visita técnica mensal da empresa.”

Quanto ao kit “antiesmagamento”, Rosana afirma que isso serviu não apenas para “acalmar os moradores”, quanto “preservar os portões”. “O kit dá segurança aos moradores; o tempo de abertura e fechamento dos portões está bem alinhado com o acesso às garagens. Fora isso, também, em nossa última assembleia, alertei os moradores sobre a responsabilidade do bom uso do controle remoto para abertura dos portões de acesso às garagens.”

Serralheria

Quanto à parte dos gradis, Rosana lamenta que o profissional que cuida do setor seja uma “mão de obra em extinção”.  “É difícil achar um profissional que faça o serviço do começo ao fim.” Por exemplo, “estávamos envidraçando a área  externa da casa do zelador e precisávamos de uma estrutura especial em serralheria para receber os vidros. No meio do serviço, o serralheiro faleceu. Desde dezembro de 2012 estamos à procura de uma solução alternativa para terminar aquela área”, relata.

De outro modo, Rosana enfrentou problemas com a oxidação das grades externas do condomínio, em razão do xixi dos animais domésticos que são levados para o passeio público pelos próprios condôminos e a vizinhança. “O melhor para esse caso seria fazer um canteiro com vegetação ao longo da calçada e evitar esse abuso dos donos de cachorros. Mas estamos com problemas mais urgentes para terminar, por isso, o Conselho ainda não pensou em alternativas. O pessoal da limpeza lava pelo menos duas vezes ao dia a calçada para tirar as manchas e o cheiro de xixi dos cachorros”, finaliza a síndica.

 

Matéria complementar da edição - 184 de out/2013 da Revista Direcional Condomínios