Viver bem em condomínio: iniciativas que competem aos síndicos

Escrito por 

Pioneira em estudos na área e uma das principais especialistas em gestão condominial no Brasil, a professora Rosely Benevides de Oliveira Schwartz defende que os síndicos adotem estratégias específicas como forma de ampliar a participação e o envolvimento de todos com o ambiente em que moram. Entre elas, promover aproximação maior com os condôminos, implantar uma relação de transparência e constância na comunicação dos fatos, e programar eventos coletivos, como festas de confraternização nos finais do ano. Isso, claro, exige, sobretudo, muita disponibilidade dos síndicos, observa.

Mas é uma maneira de tornar o ambiente condominial mais harmônico e saudável, menos conflitivo, acredita Rosely. A administradora cita o caso da recepção aos novos moradores, em que não basta apenas fornecer cópia das regras internas, mas "recebê-los pessoalmente para um café no escritório da administração, explicando o estilo de gestão do síndico e como tudo funciona". "É uma forma de aproximação interessante e faz com que o condômino sinta-se integrado."

Rosely é autora da obra "Revolucionando o Condomínio", em sua 13ª edição pela Saraiva, e ministra um curso de formação de síndicos pela EPD (Escola Paulista de Direito), em São Paulo, Capital. Segundo avalia, a abertura de canais de comunicação é uma estratégia trabalhosa de gestão, mas ela contribui para evitar a disseminação de comentários inverídicos, maldosos, de conflitos e, de outro lado, para que se crie um clima de confiança.

"As expectativas das pessoas estão mudando, elas não querem apenas performance ou formalizações, mas contato, abertura de comunicação e aproximação. Isso é que vai integrar efetivamente e cabe ao síndico essa iniciativa, pois ele está no topo da pirâmide hierárquica", encerra a professora.

São Paulo, 14 de março de 2013



PDF Revista Direcional Condomínios