Dicas de segurança

Escrito por 

Muitos condôminos se irritam com medidas restritivas de acesso ao condomínio, especialmente em relação a visitantes, entregadores e prestadores de serviços. Procure encarar esses procedimentos como um mal necessário. Os bandidos se aproveitam justamente de momentos de desatenção ou desleixo na segurança para agir. Elogiar a ação dos funcionários do prédio é fundamental para o aprimoramento do trabalho.

› Os condôminos devem possuir senhas para se comunicar com o porteiro em situações de emergência.

› Ao chegar ou sair da garagem, observe se não há estranhos ou suspeitos por perto.

› Contrate funcionários com referências (checadas). É fundamental oferecer treinamento aos porteiros, principalmente em relação ao manejo e funcionamento dos equipamentos de segurança.

› Nunca abra a porta do apartamento se a visita não foi anunciada pelo interfone. Por garantia, instale olho mágico nas portas de entrada.

› Oriente os funcionários a não comentar sobre a rotina do prédio e dos moradores com estranhos. O mesmo cuidado vale para as empregadas domésticas dos apartamentos. Muitas vezes, uma pequena informação transmitida ingenuamente serve de base para o planejamento de um assalto.

› Os funcionários da portaria jamais devem abandonar seu posto para prestar serviços particulares a condôminos. Também nunca devem ir até o portão para atender estranhos, possibilitando imobilização por arma de fogo. Ao atender estranhos, manter os portões fechados e as pessoas do lado de fora.

› O morador sempre deve ser consultado, para permitir a entrada de visitantes.

› No caso de entrega de encomenda, o morador deve comparecer à portaria.

› Nos horários de limpeza e recolhimento de lixo, mantenha as entradas do edifício fechadas.

› Antes de abrir o portão da garagem, deve-se identificar quem está no veículo. Na entrada ou saída de pessoas do condomínio, somente abrir o portão, após verificar se não há suspeitos próximos.

› Instalar equipamentos e dispositivos eletrônicos de segurança é um investimento indispensável na luta contra a violência. Procure empresas especializadas que façam uma análise de risco do imóvel, considerando as necessidades de segurança do condomínio. Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança (Abese), devem ser levados em conta os recursos técnicos a serem utilizados (alarmes, circuito fechado de TV, controles de acesso) e a infra-estrutura do local . Nunca é demais lembrar que todo sistema eletrônico deve pertencer a um plano integrado de segurança (equipamento, treinamento, normas de conduta, rotinas, etc.)

Matéria publicada na Edição Nº 69 em outubro de 2003 da Revista Direcional Condomínios