Exemplos de quem terceirizou

Escrito por 

Diante dos prós e contras, o condomínio que escolher uma empresa idônea poderá ter sucesso com a terceirização. Normalmente, os condomínios que optaram por esse sistema de contratação de mão-de-obra já enfrentaram algum processo trabalhista movido por ex-funcionários e querem fugir de dores de cabeça. É o caso do Condomínio Edifício Gran Ville no bairro paulistano da Vila Guarani. Segundo a subsíndica, Lourdes Luiz Teixeira, há um ano o prédio de 48 apartamentos tinha 6 funcionários. Hoje, três já foram terceirizados e, em breve, os outros três também serão. “Antes, tínhamos o problema da falta de funcionários. Quando um faltava, o zelador, que tem um salário maior, tinha que substitui-lo. Hoje, estamos economizando até com o material de limpeza. A empresa terceirizadora fornece tudo, com exceção dos sacos de lixo, sabonete e papel higiênico”, explica.

Em outro condomínio, o Residencial Parque das Orquídeas II, no Jardim Umarizal, com 9 blocos e 468 apartamentos, os 15 funcionários da limpeza e portaria são terceirizados (só os zeladores e os funcionários administrativos são registrados pelo condomínio). “Faço reuniões constantes com a empresa terceirizadora, que tem a responsabilidade de supervisionar todo o trabalho – em dias alternados um supervisor vem até o condomínio. Esse sistema é mais simples para nós”, constata a síndica, Neide Alves Billibossian.

Revista Direcional Condomínios