Limpeza e pintura de fachada: Empresas garantem a água

Escrito por 

A água necessária para limpar as fachadas antes da pintura dos prédios será garantida pelas empresas do setor, afirma o engenheiro Paulo Sérgio Ramalho. Ele diz que a demanda de água nesses processos é baixa e que os fornecedores estão preparados para diversas alternativas. A principal delas é repor as reservas dos condomínios "com água potável dotada de laudo técnico de qualidade".

Os trabalhos exigem baixa vazão e alta pressão, algo em torno, por exemplo, de 9 mil litros para a fachada de um prédio de 16 andares. "É menos que a cota mínima de consumo mensal estipulada pela Sabesp para cada domicílio."

Outra possibilidade é "captar a água da piscina, com bombas de recalque que adquirimos recentemente, e depois fazer a sua reposição através de caminhões-pipa de água potável comprovada". Ou, ainda, fazer o bombeamento de água de mina. De acordo com o especialista, "o procedimento não onera a conta do condomínio", tampouco o custo da obra.

Segundo Paulo Ramalho, prédios mais novos até conseguem manter a qualidade dos serviços por cinco anos sem a pré-lavagem das superfícies, mas o processo de hidrojateamento é recomendável e pode ser feito através de máquina de alta pressão e baixa vazão.

Uma lei municipal determina que a cada cinco anos os edifícios tenham sua fachada lavada, pintada ou passem por outro tratamento apropriado à sua superfície.

Matéria complementar da edição - 198 de fev/2015 da Revista Direcional Condomínios