Confira as melhores práticas na limpeza dos condomínios em prol da economia de água

Escrito por 

22 de março, Dia Mundial da Água

O Dia Mundial da Água é comemorado no dia 22 de março. Água remete à vida, saúde e limpeza. Portanto, a Associação Brasileira do Mercado de Limpeza Profissional (Abralimp) aproveita esta data tão significativa para chamar a atenção dos usuários de serviços e produtos de limpeza profissional para a questão da sustentabilidade.

Economizar água já deixou de ser uma ação meramente altruísta perante o meio ambiente para se tornar obrigação de cada cidadão. Tanto é que a adoção de produtos ecologicamente corretos por um número cada vez maior de empresas é indicação de que este assunto é realmente importante. Os consumidores já estão mais exigentes e buscam por esses materiais, pois querem ajudar, de alguma maneira, na defesa do meio ambiente.

Os diretores das câmaras setoriais da Abralimp apresentam abaixo dicas para a limpeza de condomínios. Confira:

Para contratar uma empresa prestadora de serviços, como toda atividade, é preciso um bom planejamento antes de partir para a prática. Portanto, levantar as metas, a viabilidade, montar um cronograma, definir empresas para concorrência, o escopo de trabalho, como será a implantação do serviço e como será calculada a satisfação do usuário, são etapas imprescindíveis.

O trabalho dentro dos condomínios deve ser sempre feito em conjunto entre a prestadora de serviços e quem contrata, para que haja uma atuação mais afinada. É comum que haja necessidade de fazer ajustes, por isso, a importância de ambas as partes dialogarem, para avaliar as atividades e realizar as mudanças devidas em busca de melhoria.

Com o auxílio do condomínio, muitas vezes as prestadoras de serviços acabam fazendo mudança nos produtos utilizados, na implantação de novo processo de limpeza, reduzindo o tempo de limpeza, melhorando a qualidade, aumentando a satisfação do usuário e reduzindo o uso de água, ajudando a preservar o meio ambiente.

Lembre-se que o barato pode sair caro. Portanto, o aspecto mais importante a ser levado em conta é a qualidade, não o custo.

Máquinas e equipamentos de limpeza vêm evoluindo em ritmo acelerado nos últimos anos. Antigamente, existiam apenas limpadoras a vapor que funcionavam em ambiente residencial e com poucas horas de autonomia. Hoje em dia, é possível encontrar limpadoras profissionais que funcionam por longos períodos. A mecanização dos processos trouxe benefícios como a otimização de tempo para a realização de cada vez mais tarefas em um menor prazo, maximizando resultados.

As máquinas são cada vez mais parte das soluções de limpeza. Veja uma comparação entre a área de cobertura um trabalhador usando uma máquina e um que não usa:

Máquina

Tempo

Sem equipamento

Com equipamento

Varredeira

1 hora

Varre área de 300 m²

Varre área de 2.800 m²

Lavadora e secadora de piso

1 hora

Lava e seca área de 200 m²

Lava e seca área de 1.840m²

O aumento do rendimento não é a única vantagem da mecanização do processo de limpeza. A economia em longo prazo para os gastos em conservação é muito válida. Por exemplo: uma lavadora de alta pressão custa, aproximadamente, R$ 2 mil. Em um edifício de classe A, de 20 andares com dois apartamentos em cada, o custo do equipamento seria de R$ 50,00 por condômino.

De acordo com fabricantes, uma lavadora de alta pressão gasta, em média, 500 litros de água por hora. Uma mangueira convencional gasta, no mesmo período de tempo, até 3.500 litros, ou seja, a economia de água é de mais de 80%.

Dessa forma, usando uma lavadora de alta pressão durante duas horas por semana, a economia mensal do condomínio será equivalente a 24 mil litros de água e, em um ano, de 228.000 litros.

Porém, não basta simplesmente escolher uma máquina aleatoriamente. É preciso dimensionar qual equipamento possui capacidade adequada para as necessidades do condomínio, para evitar a compra de maquinário tecnicamente superior ou inferior ao desejado. É importante ainda garantir uma mão de obra adequada para operar o equipamento, para que haja melhor aproveitamento das funções e a maximização dos resultados. Por fim, deve haver um planejamento para a manutenção preventiva e corretiva, sempre exigindo peças originais e técnicos capacitados pelo fabricante.

Outra solução sustentável que vem sendo adotada nos condomínios é a adoção de sistemas de captação de água de chuva, para utilização na limpeza e lavagem de áreas comuns, além do reaproveitamento desta água para os vasos sanitários.

A escolha certa de produtos químicos é de extrema importância para a redução do uso de água. Por isso, é preciso dimensionar corretamente o uso dos produtos saneantes pela:

Qualidade:
1) A escolha do melhor produto pode resultar em economia do produto em si, tempo e energia, pois será necessário menor esforço mecânico.

2) Nunca deve se utilizar solventes para limpeza, a menos que seja a única opção.


Quantidade:

1) Diluição e quantidade utilizada mais adequada.

2) Nunca diluir mais produto que o necessário à aplicação.

3) Aproveitar ao máximo o produto empregado. Por exemplo:
a) Na remoção de cera em pisos, é possível reaproveitar a solução mais que uma vez antes de descartá-la.
b) Quando se dispõe de tempo, pode-se utilizar menores concentrações com maior tempo de ação.


Para evitar desperdícios de produtos de limpeza
:

1) Onde for possível, optar pela limpeza a seco. O ideal é usar produtos químicos especiais que evitam a utilização de grandes volumes de água, além de não haver necessidade de contaminar efluentes.

2) Somente usar produtos muito espumantes se houver real necessidade, evitando assim desperdício de água para enxágue. Não é a espuma que limpa.

3) A utilização de dosadores e diluidores sempre leva à redução no consumo de produtos químicos, porque elimina o desperdício na medida das soluções. Normalmente, operadores tendem a errar para mais, além de fatores como derramamentos e outras variáveis.

4) O uso de pulverizadores, desde os mais simples até os costais, regulam melhor a quantidade de produto aplicado, principalmente nas superfícies verticais.

5) Em limpeza pesada, alguns tipos especiais de pulverizadores favorecem a penetração em detalhes e o tempo de contato para ação do produto.

6) Usar lavadoras de alta pressão no enxágue reduz o consumo de água em até 80%.

Fonte: Abralimp (Associação Brasileira do Mercado de Limpeza Profissional) / ADS Comunicação Corporativa

Saiba+
www.abralimp.org.br
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
(11) 3079-2003

São Paulo, 20 de março de 2012.