Dica Decoração de Natal: Alie beleza e economia

Escrito por 

No Condomínio Antuérpia, na zona leste de São Paulo, Rosely Castanho Pignataro, decoradora e esposa do síndico, há nove anos começa a pensar em Natal muito antes do mês de dezembro. Ela é quem faz a decoração da fachada do prédio. Este ano, Rosely, o zelador e dois faxineiros preparam a decoração natalina desde maio. São os mais diversos enfeites, Papai Noel, caixas, bengalas, brinquedos produzidos com garrafas pet, isopor, latas de tinta – e tudo o que puder ser reaproveitado. Até agora, já foram utilizadas mais de cinco mil garrafas pets para a decoração do fim do ano. “Todos os enfeites fazemos com embalagens recicláveis. Além da economia, esse tipo de material tem um brilho especial”, acredita Rosely. Todo esse trabalho aliado à preocupação com o meio ambiente levou o prédio a conquistar, no ano passado, o prêmio de “Mais Bela Decoração de Natal 2007”, oferecido pela São Paulo Turismo (SPTuris), órgão da Prefeitura da capital paulista.

Assim como o Condomínio Antuérpia, muitos prédios já utilizam a reciclagem como alternativa para a decoração. O Conjunto Nacional, famoso pelos presépios na Avenida Paulista, há sete anos implantou a idéia. A síndica do prédio, Vilma Peramezza, explica que o trabalho também ajuda uma cooperativa. “Pagamos o projeto, desenho, material, instalação e a mão-de-obra especializada. Mesmo assim, fica mais barato do que alugar uma decoração”, lembra a síndica. 

Apesar de o visual ser importante, o síndico deve estar atento para evitar acidentes, principalmente, quando envolve lâmpadas ou pisca-piscas. No Antuérpia, são tomados alguns cuidados. “Não deixamos os fios expostos e tudo é bem amarrado para não haver riscos de quedas dos enfeites”, assegura Rosely. “Na instalação das lâmpadas, é preciso avaliar qual o tipo de produto e se o fabricante é idôneo. Além disso, o profissional deve estar capacitado para fazer instalações com segurança, sem fios desencapados e sem sobrecarga, pois podem causar um curto-circuito”, aponta o engenheiro eletricista da Abracopel (Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade), Edson Martinho. Ele acrescenta que nas áreas externas a atenção deve ser redobrada por causa do risco de chuva, raios e por serem áreas de acesso. “Jardins ou fachadas são passíveis de umidade e podem ocorrer choques”, afirma.

Outro aspecto importante a ser lembrado quando se fala em decoração de Natal é o meio ambiente. De acordo com o decreto 6514/08 do Governo Federal, não se pode causar qualquer tipo de dano às árvores. “Ao colocar as lâmpadas, não se pode perfurar troncos ou galhos para fixar os fios. Deve-se enrolar ou amarrar a fiação na árvore e, assim, não prejudicar a vegetação”, aconselha o engenheiro agrônomo Heraldo Pereira, um dos responsáveis da Secretaria do Verde e Meio Ambiente de São Paulo pela vistoria da decoração natalina no Parque do Ibirapuera. Na cidade, o Decont (Departamento de Controle Ambiental) é o órgão da prefeitura que fiscaliza e autua os responsáveis por danificar as árvores em diversos locais. A vistoria ocorre a partir de denúncias. Mais informações no telefone do Decont: (11) 3396-3330.

Matéria publicada na Edição 128 de setembro de 2008 da Revista Direcional Condomínios.