Saúde: Prevenção no condomínio

Escrito por 

Locais apropriados para a prática de exercícios, espaços de convivência e de relaxamento contribuem para prevenir doenças e trazer qualidade de vida aos moradores.

A prática regular de exercícios físicos ou outras atividades que tragam bem-estar, como a jardinagem, previne o estresse, as doenças cardiorrespiratórias, osteoporose, lesões musculares e obesidade, entre outras. O condomínio pode tornar-se um local adequado para a saúde preventiva, aproveitando-se a infra-estrutura pré-existente, ou mesmo fazendo pequenos investimentos. 

Quando o terreno permitir, vale a pena criar uma trilha de caminhada que também possibilite realizar outras atividades ao longo do percurso. Um banco pode servir para os exercícios abdominais; em outro local, podem ser instaladas barras para alongamentos e exercícios de braços e pernas. “O circuito pode ser incrementado com esses recursos simples e baratos”, sugere o presidente do Conselho Federal de Educação Física, Flavio Delmanto. 

É muito importante pensar na segurança. “A piscina, por exemplo, precisa de proteção para evitar acidentes com crianças. Para a prática de exercícios, é importante contar com um profissional de educação física, geralmente terceirizado, devidamente habilitado e registrado no Conselho Federal de Educação Física, para desenvolver um programa de atividades de acordo com o perfil dos moradores e a infra-estrutura disponível, como piscinas, quadras e sala de ginástica”, orienta Delmanto.

Ele sugere que a programação, tendo em vista a saúde preventiva, pode incluir iniciação esportiva, dança, ginástica, exercícios para a terceira idade e competições, prevendo atividades aeróbicas (que envolvem a circulação sanguínea, os pulmões e o sistema cardíaco) e anaeróbicas (fortalecimento dos grupos musculares). Antes de iniciar qualquer atividade física, porém, é preciso fazer exames médicos. 

“Aqui eu faço de tudo para os moradores se enturmarem. Temos aulas de dança do ventre e yoga. Nossa academia também é bem aproveitada, com três bicicletas, duas estações de musculação e duas esteiras. Além disso, temos uma ótima pista para caminhada”, conta Ana Josefa, síndica do condomínio Piazza di Toscana, com 420 moradores.

“A academia do condomínio deve ter equipamentos adequados e acessórios que permitam aos condôminos realizar diversos tipos de atividade física de forma eficiente e segura, sendo necessária, portanto, a manutenção e revisão constante de todos os aparelhos”, lembra Flavio Delmanto. Os equipamentos básicos são bicicleta, esteira, pesos e um aparelho para musculação que permita vários exercícios, trabalhando braços, pernas, abdome, peitoral e dorsal. 

Um profissional é fundamental para que os exercícios tragam resultados, sem prejudicar a saúde dos moradores, como lesões a médio e longo prazo ao executar exercícios com sobrecarga, posturas incorretas e com frequência acima dos limites da pessoa. 

Os espaços para relaxamento são tão importantes quanto os destinados às atividades físicas. O condomínio Piazza di Toscana possui um viveiro de plantas para os moradores que gostam de jardinagem. Muitos deixam ali seus vasos e, vez ou outra, dão uma passada para cuidar das plantas. 

A novidade é a horta, cultivada em bacias, com vários tipos de ervas, como manjericão, salsa, cebolinha, erva-doce, entre outros, sob os cuidados dos funcionários responsáveis pela manutenção do jardim. “Quando alguém precisa de um tempero fresquinho ou um chá, pode ir ao viveiro e colher na hora”, diz a síndica Ana Josefa. Para contar com um espaço como esse no condomínio, é preciso ter um ponto de água para as regas e a limpeza, além de prateleiras, insolação e áreas sombreadas.

Matéria publicada na Edição 126 de julho de 2008 da Revista Direcional Condomínios.