Piscinas e Paisagismo: Beleza, funcionalidade e eficiência

Escrito por 

Em tempos de sol a pino, céu azul e temperaturas elevadas, as piscinas costumam proporcionar sensação de frescor, prazer e diversão. Especialmente se o entorno estiver dotado de um belo tratamento paisagístico. Mas para empresas e profissionais que lidam com o assunto, a piscina surge também como sinônimo de muito trabalho, destaca o engenheiro Sérgio Almeida Teixeira Leite, proprietário da Semab, empresa que fabrica e comercializa equipamentos para tratamento físico da água, entre muitos outros produtos e serviços.

Não basta manter a água limpa, esta deve ser tratada como se fosse potável, defende Sérgio Almeida. “Ela pode ser ingerida, fica em contato com a pele e se não for submetida a um tratamento adequado, pode facilitar a proliferação de microorganismos, cistos, protozoários, bactérias, fungos, vírus, coliformes, causar doenças infectocontagiosas ou conjuntivite, otite e micoses.” Com 27 anos de mercado, a Semab comercializa bombas variadas, filtros, geradores de cloro e ozônio e bombas dosadoras eletrônicas.

Estes dois últimos itens são fabricados pela própria empresa, que recentemente lançou no mercado o Aparelho Acquaclor, o qual  promove “a esterilização e desinfecção de águas e esgotos, oxida matérias orgânicas, melhora o controle sanitário e ambiental por meio da erradicação de doenças e a eliminação de agentes patológicos”. O equipamento é “capaz de gerar, no próprio local, uma solução oxidante de hipoclorito de sódio (cloro residual livre), através de um processo eletroquímico (eletrólise) de salmoura (água e sal), utilizando um retificador (fonte) de corrente contínua em baixa tensão, e um reator composto por eletrodos especiais (célula)”, explica Sérgio.

O empresário diz que o produto oferece uma “ótima relação custo-benefício”, por reduzir os custos operacionais em “até 70%”, e pode ser utilizado ainda em estações de tratamento de água e esgoto, poços artesianos, hospitais, condomínios, clubes, lavanderias e indústrias. A Semab oferece como serviços opcionais a instalação, manutenção ou locação do equipamento. De forma geral, além de vender os produtos, a empresa costuma realizar assistência técnica, “por contrato mensal ou chamada avulsa”. É disponibilizada ainda “a manutenção periódica das bombas das piscinas e de todas as demais”, avalizada, conforme Sérgio Almeida, pelo know how de 27 anos de trabalho, pela variedade do estoque e pelo sistema de plantão de atendimentos, que o empresário destaca como principais diferenciais da Semab em relação ao mercado.

A Comercial Lanel é outra empresa que oferece assistência técnica direta para os produtos que comercializa, afirma Ricardo Jorge Sá dos Santos. Com oito anos de existência, mas proveniente de um grupo que atua há 33 anos, a Lanel tornou-se uma distribuidora multimarcas de bombas hidráulicas e de acessórios,  realizando a assistência em suas próprias oficinas. De acordo com Ricardo, há diferentes modelos de bombas para piscinas, que variam conforme o tamanho e o volume de água envolvido. O conjunto completo do equipamento inclui a bomba com pré-filtro, o filtro e a areia, que assegura a purificação da água. O empresário diz ainda que a Lanel trabalha sob contratos de manutenção em bombas d´água, motores elétricos, inversores de frequência, soft-starters, chaves de partida e painéis de comando. Entre seus clientes, figuram condomínios, construtoras, indústrias, hospitais, empresas de extração mineral, saneamento básico e tratamento de água. “A manutenção é preventiva, preditiva e corretiva e temos plantão de 24 horas nos contratos de manutenção”, destaca Ricardo. A garantia pelos serviços prestados é de seis meses. Atendendo a todo País, “a Lanel traz como diferencial seu know how em assistência técnica, um amplo estoque e preços acessíveis”, complementa o sócio da empresa. A boa parceria com os seus clientes rendeu para a Lanel e o Grupo N. Nascimento, do qual se originou, uma terceira loja, que será inaugurada ainda neste ano. As unidades estão localizadas na zona Norte de São Paulo.


:: Fique de Olho

Do outro lado da Capital paulista, na zona Sul, a 4 Ases vem se firmando como referência na comercialização de bombas hidráulicas, de marcas diversas, como Jacuzzi, Mark, Dancor, Sodramar, Nautilus, Milenius e Darka, enumera André Milici Lara, supervisor da empresa. O foco da 4 Ases é a venda de motores e bombas, além da manutenção, rebobinamento e alinhamento a laser, bem como serviços em centros de medição e prumada elétrica.

No caso de bombas para piscinas, André recomenda aos clientes, especialmente aos condomínios, adotar uma série de cuidados no manuseio do equipamento, garantindo-se a sua eficiência. “A limpeza do pré-filtro deve ser feita periodicamente e a troca da areia a cada dois anos (não trocar areia antes deste período e sim repor), conforme a gramatura indicada pelo fabricante.” O supervisor prossegue com suas dicas, enfatizando que é desnecessária a troca constante de água. “A simples renovação da água da piscina não é sinônimo de boa manutenção ou limpeza, pois vários outros procedimentos se fazem necessários, como o controle de pH, turbidez, cloração, etc. As constantes trocas totais, além de não resolver o problema, trarão como única conseqüência um consumo elevado de água”, observa.

De outro lado, André Milici sugere que “se mantenha o espaço destinado às bombas e equipamentos sempre limpo e sem qualquer material estranho à manutenção da piscina, como guarda-sol, cadeiras e brinquedos”. A 4 Ases traz como seu principal diferencial “o atendimento técnico comercial, visando a solução do problema pela raiz, a flexibilidade e a alternativa de financiamento pela linha de créditos do BNDES”, finaliza o supervisor. 


PAISAGISMO

A garantia da limpeza e eficiência das piscinas pode estar acompanhada por um tratamento paisagístico do entorno que também prime pela adequação e funcionalidade. De forma geral, as empresas que trabalham neste segmento devem “respeitar o paisagismo local e o ambiente, analisar as condições de tráfego de pessoas e automóveis, a segurança, além das instalações hidráulicas e elétricas”, analisa Viviane Callegari, da Jardineira Paisagismo. Segundo a profissional, é importante o uso de plantas que não interfiram nos pontos enumerados acima, “adequando o projeto com variedades que possam permanecer no local de 20 a 30 anos ou mais”. Ou seja, ressalva a paisagista, o porte adulto das espécies deve ser levado em conta no momento de se decidir pelo projeto, seja para áreas contíguas às piscinas ou aos jardins e floreiras, entre outros. Com 20 anos de existência, a Jardineira Paisagismo apresenta em sua carteira clientes importantes, como grandes redes de hotéis, bancos e condomínios residenciais e comerciais de alto padrão. Segundo Viviane, um bom projeto paisagístico deve atender não apenas às expectativas destes clientes, mas também ao uso e função que terá no ambiente a ser trabalhado. As espécies precisam estar de acordo com o espaço físico, lembra. No mais, as empresas precisam garantir a qualidade das mudas e da terra utilizada, bem como a rapidez, limpeza e organização durante a execução dos serviços. No caso da Jardineira, a paisagista destaca que a empresa proporciona “o melhor atendimento possível, o qual se baseia no retorno imediato à solicitação, no preço justo e na qualidade da operação, mantendo a limpeza e a organização do ambiente”.

Os serviços oferecidos pela Jardineira vão além dos projetos de intervenção paisagística, pois envolvem também manutenção e conservação de áreas ajardinadas e vasos internos, em atividades como corte de gramado, topiaria (poda), adubação e reforma, relaciona Viviane. A empresa possui um quadro de funcionários qualificados, que atuam “sob contínua supervisão técnica”. 

Matéria publicada na edição Nº 137 em julho de 2009 da Revista Direcional Condomínios