Conheça o passo a passo da implantação do Programa Vizinhança Solidária em região da Vila Mariana (SP)

Escrito por 

Possuir câmeras instaladas em lugares estratégicos representa, sem dúvida, um recurso importante para que o condomínio reforce sua segurança. Mas as câmeras, por si só, têm poder preventivo limitado se não estiverem apoiadas em outros mecanismos de prevenção, como o armazenamento das imagens em local seguro; a existência de eclusas; o ponto de localização das portarias, de forma a proteger o seu funcionário; a adoção de vaga de pânico na garagem; de regras firmes de acesso, e que sejam acatadas pelos condôminos; a blindagem da guarita; e até mesmo o posicionamento correto do circuito de CFTV.

Por exemplo, na área perimetral externa, de entrada dos pedestres, é importante que cada câmera mire um lado, sempre cruzando as imagens, conforme orienta o sargento Claudemir Portilho Mateus Junior, responsável pela operacionalização do Programa Vizinhança Solidária na região de atuação da 2ª Cia da PM, do 12º Batalhão. Já o síndico Nilton Savieto, que teve o edifício em que mora como um dos primeiros a aderirem ao Vizinhança Solidária no bairro, sugere que o condomínio amplie o acesso às imagens do CFTV aos moradores, através de rede wireless ou do sistema de cabo. “É importante que os moradores possam ver na tela de sua tevê o que acontece na portaria”, diz.

Ou seja, um escopo mínimo de medidas deve ser adotado pelos condomínios interessados em fazer parte da primeira fase do Vizinhança Solidária na área da 2ª Cia da Vila Mariana, de forma que se certifiquem e preparem para entrar num momento mais avançado do Programa, quando será desenvolvido um padrão de comunicação entre eles.

De acordo com o sargento Claudemir Portilho, a adesão ao Vizinhança Solidária requer que se cumpra o seguinte passo a passo:

  • Estabelecer contato com a Polícia Militar, através da Companhia que atende o bairro (elas são vinculadas a Batalhão da PM). O contato pode ser feito também com o Conselho Comunitário da região (Conseg);
  • Através deste contato, nas áreas de implantação do Vizinhança Solidária, o condomínio receberá um requerimento, por meio do qual solicitará a adesão e terá agendada uma vistoria técnica por parte da PM;
  • Após esse processo, o condomínio será orientado a adotar ajustes, além de começar a frequentar as reuniões do Conseg de sua área;
  • Feitos os ajustes e aprovados pela PM, o condomínio recebe a homologação e é certificado pelos policiais;
  • A partir daí, é orientado a instalar a placa de adesão ao programa em área de fácil visualização de seu perímetro externo. Todo condomínio certificado entra no roteiro de visitas incertas realizadas pelas equipes da PM, motorizadas ou não, que assim testam a eficácia do sistema preventivo de segurança do prédio;
  • Policiais que fazem parte da operacionalização do Programa podem ainda realizar palestras de orientação aos moradores dos condomínios.

“A grande chave para o sucesso das estratégias de segurança é o treinamento dos moradores”, argumenta o sargento Claudemir Portilho. Os condomínios localizados em sua área de atuação e que estejam interessados em compor o Vizinhança Solidária, podem entrar em contato com a 2ª Cia, através do telefone (11) 5082-2088 ou 5579-3786. A 2ª Cia fica localizada na Rua Sena Madureira, 980, Vila Mariana, São Paulo (SP).

São Paulo, 4 de agosto de 2014