Terça, 30 Julho 2019 00:00

Aquecedores a gás: Cuidados a observar em seu condomínio

Escrito por 

O síndico deve se empenhar na conscientização dos moradores a respeito dos riscos que envolvem os aquecedores a gás, especialmente quando instalados por profissionais inabilitados, e sempre que a manutenção periódica desses aparelhos for negligenciada.

A tragédia que ceifou as vidas de quatro pessoas em um condomínio na cidade de Santo André, São Paulo, em julho de 2019, não foi a primeira envolvendo aquecedores a gás, e, decerto, não será a última, uma vez que, passada a comoção geral, a tendência é de o acidente cair no esquecimento.

A polícia acredita que a família tenha morrido de asfixia por inalação de monóxido de carbono, gás proveniente da queima do gás combustível do aquecedor do apartamento, cujo duto de exaustão estava desprendido do aparelho, e, para agravar o perigo, as janelas do imóvel estavam todas fechadas.

Nada menos de dez anos atrás, o síndico do prédio aconselhara a família a providenciar a instalação da tubulação de exaustão do aquecedor, mas como se sabe, síndicos não têm o poder de interferir em unidades autônomas, exceto nos casos que exponham toda a edificação a riscos.

O mais importante ao se adquirir esse tipo de aparelho é pedir à empresa vendedora que indique um instalador credenciado pelo fabricante, que irá seguir fielmente a norma NBR 13.103/2016, que estabelece as diretrizes para a instalação de equipamentos a gás.

Cabe lembrar que os aquecedores a gás são equipamentos como quaisquer outros que, assim, como os carros, devem passar por revisões anuais.

A Comgás disponibiliza em seu site o documento Manual de Instalação de aparelhos a gás, que traz todas as informações técnicas necessárias para a correta instalação de fogões, lareiras, aquecedores e demais equipamentos a gás.

O síndico deve se empenhar na conscientização dos moradores a respeito dos riscos que envolvem os aquecedores a gás, especialmente quando instalados por profissionais inabilitados, e sempre que a manutenção periódica desses aparelhos for negligenciada.


Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.


Luiz Leitão da Cunha

Síndico profissional, Luiz Leitão da Cunha já atuou como jornalista, tradutor, gestor de empresas e operador da Bolsa de Valores. Em São Paulo (SP), realiza a gestão de condomínios localizados nos bairros de Jardins/Cerqueira César, Pinheiros e Itaim-Bibi. Mais informações: luizmleitao@gmail.com; https://luizleitaosindicoprofissional.wordpress.com/