E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Mudanças anunciadas neste mês de julho pelo Governo Federal aliviam o trabalho das administradoras, mas empresas seguem à espera de um comunicado definitivo.

Desde o dia 10 de abril deste ano, administradoras e condomínios passam por uma profunda transição para se adequar a uma das fases mais complexas da implantação do e-Social: Os chamados eventos não periódicos.

Tecnologia que movimenta o mercado também muda dinâmica entre síndicos, proprietários e locatários.

NBR 16.280 pacificou entendimento sobre direitos e obrigações de proprietários, síndicos e administradoras durante a reforma de unidades autônomas.

Situações cada vez mais complexas em condomínios exigem experiência, isenção e rapidez para não se transformarem em um bicho de sete cabeças.

Nos últimos anos, a transformação digital mudou completamente a forma como nós nos comunicamos, nos locomovemos e nos relacionamos com o mundo. As novas tecnologias também estabeleceram novas formas de comprar, vender ou alugar um imóvel.

"Um dos procedimentos de maior atenção das administradoras é o processo de seleção dos funcionários. As administradoras estão adotando critérios mais rígidos na análise do histórico dos funcionários. É sempre desejável contar com alguns funcionários mais experientes, com vivência na profissão e boa formação em cursos e treinamentos".

"Além das atividades relacionadas ao dia a dia dos condomínios, como convocação de assembleias, emissão de boletos, cobrança e recebimento de cotas condominiais, pagamento de fornecedores e o gerenciamento das obrigações fiscais, as administradoras estão cada vez mais voltadas à necessidade de formatar novos padrões de comportamento e de estimular boas práticas de convivência."

"O sucesso dos condomínios no cumprimento dos prazos depende de uma boa relação com zeladores e gerentes prediais, pessoas diretamente ligadas ao dia a dia dos funcionários."