Terça, 29 Setembro 2020 00:00

Como estão as garagens do seu edifício?

Escrito por 

As garagens são, como diz o nosso velho e bom dicionário Aurélio, lugar destinado a abrigar. Mas neste detalhe de abrigar, os síndicos precisam impor limites e ordem.

É comum observarmos as garagens dos edifícios abrigando, além de veículos, objetos, carrinhos, brinquedos, cadeiras, malas, resto de obras e demais objetos que os condôminos não utilizam mais. São desde máquinas de lavar, geladeiras, armários desmontados a muitos outros itens que vão se acumulando e aumentando com o passar do tempo nas vagas das garagens.

Esses objetos, muitas vezes, também avançam um "pouquinho" para a vaga do vizinho, o que, com certeza, gera conflitos, além de reclamações relacionadas a riscos e amassados em seus veículos, à dificuldade de manobrar o carro, a moto, ao impedimento da passagem ou circulação das pessoas entre as vagas. Tudo isso faz com que a garagem se torne para muitos o local que se acredita ser um verdadeiro "depósito" e um dos melhores lugares para início do estresse entre vizinhos.

É muito comum e já vi várias dessas garagens serem escuras, mal sinalizadas, com ralos e tampas quebradas e empoeiradas, passando a verdadeira ideia ao condômino de ser aquele cantinho que faltava para encostar aquilo que não lhe serve mais.

Se seu prédio é muito antigo, vale a pena rever com o conselho o que dizem os Regimentos Internos e a Convenção de condomínio para esta área e estabelecer novas regras dentro do perfil e necessidades dos moradores. Este trabalho de revisão costuma evitar muitos desentendimentos futuros entre condôminos. No edifício onde moro e que administro, após esta revisão, fizemos uma assembleia e aprovamos algumas mudanças que beneficiou a todos.

A melhoria incluiu ainda a pintura da garagem com uma tinta com brilho, que facilita a limpeza das paredes. Para a área de circulação dos carros, foi instalado um sensor de presença com lâmpadas LED de boa potência, que se estendeu por toda a garagem. Reforçamos a cor das faixas de delimitação de vagas, sua identificação numérica e as dos extintores. Os canos e conduítes externos passaram a receber uma rotina de limpeza mensal, evitando assim acúmulo de poeira e teias de aranha. Instalamos protetores nas colunas e nas paredes e ainda incluímos um cantinho para reciclagem de lâmpadas, óleo de cozinha e pilhas.

Mas reservamos um local na garagem para que os condôminos possam armazenar, durante períodos pré estabelecidos, algum objeto que necessite descartar ou doar.

Regras pré estabelecidas e cumpridas geram a conservação e a valorização do patrimônio em sua gestão.


Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.


Cristiane Bittencourt Reis

Síndica orgânica há cinco anos no Edifício Ilha de Guadeloupe, na Vila Madalena, em SP, tem formação em síndica profissional pela Gabor RH. É graduada em Comunicação Social, com MBA em Recursos Humanos pela USP e educação continuada em Finanças, RH e Administração pela FGV. Tem 20 anos de experiência na área administrativa em empresa privada e é sócia da Ruffino & Alvim Empreendimentos e Administração de Imóveis. Possui ainda cursos de Gestão em Qualidade de Vida pela FEA-USP PROGEP, Administração de Conflitos e Qualidade Máxima no Atendimento ao Cliente, os dois últimos pelo Sebrae.
Mais informações: cristianesindica@hotmail.com