E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

A manutenção das redes hidráulicas dentro de um condomínio deve fazer parte de um plano de ação bem definido. As ações podem estar em prazos bem definidos de manutenção preventiva, mas podem ainda resultar de um elenco de prioridades quando se tem sistemas antigos, onde as tubulações estão entrando em colapso. Em qualquer caso, a manutenção deve ser fruto de uma visão sistêmica de médio a longo prazo.

Prédios mais antigos apresentam, em geral, projeto hidráulico com prumadas não segmentadas, muitas vezes passando pelo interior dos apartamentos, o que dificulta reparos. Com tubulações em ferro em sua maioria, registram constantes vazamentos e conta de água elevada. Neste texto, o Eng. Renato Luiz Moreira orienta como fazer a modernização das instalações hidráulicas das edificações, em entrevista concedida à jornalista Rosali Figueiredo, editora da revista Direcional Condomínios.

A individualização é um processo que vem ganhando força ano a ano. Porém, há todo tipo de experiência no mercado, na maioria boas. As más podem ser evitadas.

Para racionalizar o consumo de água é vital o bom funcionamento do sistema hidráulico de um condomínio. Mas a manutenção não é a única forma de se evitar vazamentos e o desperdício de água e de recursos financeiros. É preciso mapear e reorientar hábitos dos usuários, verificar os ajustes dos equipamentos e repensar a própria maneira de ser fazer os reparos.

O síndico deve estar cercado de bons fornecedores e boas informações, ficar atento aos custos de manutenção, ter em mãos as especificações de projeto e buscar apoio de especialistas na operação do equipamento. Caso o sistema existente seja antigo e apresente falhas frequentes, está na hora de pensar na troca por um mais moderno.