Terça, 21 Janeiro 2020 00:00

Acessos às caixas d’água do condomínio, como preservar a saúde e segurança do trabalhador?

Escrito por 

Em entrevista à Direcional Condomínios, o consultor da área de riscos Carlos Alberto dos Santos orienta como devem ser as escadas de acesso às caixas d’água inferiores e superiores das edificações, de forma a garantir a saúde e segurança dos trabalhadores que executam serviços de limpeza, impermeabilização, inspeção etc.

1 - Escada marinheiro é indispensável no acesso superior aos reservatórios? 

Tudo depende do tipo de reservatório (se 100% alvenaria, se 100% fibra de vidro ou se misto), de sua altura e do local onde está instalado (se rente ao guarda-corpo ou se em compartimento fechado, por exemplo). Conforme essa configuração, deverão ser atendidas as exigências da NR 6 (Equipamentos de Proteção Individual, como cinto de segurança tipo paraquedista), da NR 18 (a qual contempla a escada marinheiro), da NR 33 (relativa aos espaços confinados) e NR 35 (serviços em altura).

O assunto é extenso, mas podemos destacar três situações mais comuns em reservatórios superiores de alvenaria:

1) A escada marinheiro instalada a partir do barrilete, em área interna, com acesso direto à tampa do reservatório, traz um tipo de especificação;

2) Já aquelas em ambiente interno que avançam acima de 2 metros de altura precisam do guarda-corpo, de anel de proteção em diâmetro correto e trava-quedas, respeitando ainda a altura do degrau e o distanciamento da parede;

3) Por fim, na escada marinheiro externa, além das exigências acima, o guarda-corpo precisa avançar um metro além da altura da escada, conforme a imagem abaixo:

Escada marinheiro

Escada marinheiro adequada à norma em imagem de Carlos Alberto dos Santos

A norma determina ainda que acima de 10 metros precisa haver patamar de descanso. E o funcionário precisa subir com EPI: Há escadas com trava-quedas no meio, o funcionário fixa o cinto na estrutura, mesmo tendo guarda-corpo (este evita queda de costas, já o trava-quedas evita queda vertical).

De forma geral, as NR 18, 33 e 35 exigem que os profissionais sejam treinados para acessar esses ambientes e realizarem os serviços.

Já entre os tanques de fibra de vidro, os erros mais comuns no acesso são:

- Ausência de escada marinheiro;

- Tanques já comercializados com a escada marinheiro afixada, mas em desacordo com as normas técnicas e/ou dos fabricantes. Por exemplo, desrespeito ao distanciamento mínimo exigido por norma em relação à parede ou ao teto, dificultando o acesso do trabalhador;

- Escada de corda afixada em estrutura de PVC de sustentação do telhado do tanque, conforme a imagem abaixo:

Escada de corda

Situação incorreta em imagem de Carlos Alberto dos Santos

- Escada de madeira apoiada no reservatório, sem qualquer fixação, sem proteções ao trabalhador, com riscos ainda de provocar ruptura no material do reservatório, conforme a imagem abaixo:

Escada de madeira

Situação incorreta em imagem de Carlos Alberto dos Santos

- Instalação do tanque nivelado no piso, quando deveria haver uma base para o seu apoio, evitando rachaduras no fundo do reservatório.

2 - E como se deve acessar os reservatórios inferiores?    

Se o reservatório estiver em nível com o pavimento (térreo ou subsolo), mas se a sua tampa de acesso estiver localizada na cobertura desta estrutura, é preciso haver uma escada afixada, sua especificação dependerá sempre da altura do tanque. Reservatórios muito altos (com cerca de 30 metros ou mais), presentes, por exemplo, em áreas externas de condomínios de casas ou condomínios-clube, possuem escadas afixadas internamente. Tudo dependerá sempre da configuração da estrutura e do espaço, seja no reservatório inferior ou no superior.   

3. Tampas de acesso, outro ponto problemático

É preciso ainda fazer uma observação sobre as tampas de acesso aos reservatórios. Em algumas caixas d’água de alvenaria, elas são de concreto, pesadas e dificultam sua remoção, afetando os quesitos de ergonomia e saúde do trabalhador. A tampa de concreto exige esforço extra do funcionário, pode travar a sua coluna, além de danificar o piso da laje e da manta da cobertura do prédio. Recomendo sempre instalar tampa de alumínio nos reservatórios de alvenaria. Já as tampas de fibra costumam ser feitas desse material, mais leve. Elas devem ser adotadas em todas as situações, inclusive nos poços.

Tampa em alumínio de reservatório

Tampa em alumínio de reservatório inferior do Condomínio Viadutos / São Paulo (Foto síndico José Marques)


Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.


Carlos Alberto dos Santos

Profissional com mais de 25 anos no mercado de seguros e gestão de riscos, é fundador da Condorisk do Brasil e possui a certificação AIRM - Alarys International Risk Manager (da Asociación Latinoamericana de Administradores de Riegos y Seguros). Possui expertise na solução de problemas enfrentados pelos síndicos para manter a boa ordem dentro das edificações, atuando hoje em Gestão de Riscos em Condomínios.
Mais informações: carlos@condorisk.com.br.