Uniforme nos condomínios: acabamento assegura melhor desempenho funcional

Escrito por 

A superintendente do Comitê Brasileiro de Têxteis e do Vestuário da Associação Brasileira das Normas Técnicas (ABNT), Maria Adelina Pereira, ensina que para cada atividade exercida pelos funcionários dos condomínios, é necessário um tipo específico de desenho. Segundo ela, existem diferentes necessidades de bolsos, colocação ou não de cintos, reforços nos joelhos em caso de trabalho com jardinagem, entre outros.

“Acima de tudo, existem procedimentos que são comuns a todos os uniformes, como a questão da durabilidade do aspecto, não formação de pilling, manutenção de cor, boa qualidade da costura e principalmente conforto. Dessa forma, o funcionário poderá manter a sua produtividade”, pondera. Atualmente, já existem uniformes que possuem acabamentos especiais, antitranspirantes, aromatizados e com fibras que favorecem a troca térmica de ambiente.

BENEFÍCIOS

Síndica profissional há 14 anos, Mariza Mello atua hoje em quatro prédios. Ela considera essencial a padronização do vestuário dos funcionários dos condomínios através do uso de uniforme, pois acredita que isso faz parte de uma disciplina importante para os trabalhadores. Mesmo atuando em lugares diferentes, a profissional adota sempre o uso de calças escuras e camisas claras para sua equipe, em tons como o verde e cinza.

No caso dos sapatos, Mariza prefere que os funcionários comprem fora de lojas especializadas em uniformes, optando por calçados mais personalizados. “Eles trazem a nota de compra e eu reembolso. Além de ser algo interessante, vejo que calçados precisam de uma durabilidade ainda maior que as roupas”, pondera.

A síndica também cita que os síndicos devem estar preparados para mudanças climáticas, e providenciar blusas e malhas adequadas para dias frios – como os que foram registrados no último mês de julho em São Paulo. “Há pouco tempo decidi investir em materiais mais protetores e, com a queda de temperatura, os funcionários não enfrentaram problemas”.

Para Roberto Chadad, presidente da Associação Brasileira do Vestuário (Abravest), investir no uso de uniformes pode explorar ideais de confiança, seriedade e profissionalismo no condomínio. De acordo com ele, a identificação que a vestimenta traz ainda pode garantir a integridade física do usuário. O presidente da entidade informa que atualmente a ABNT edita inúmeras normas sobre o assunto, inclusive atendendo à necessidade quanto ao padrão e resistência do vestuário, orientação que cabe também aos condomínios. “Vestimenta adequada desenvolve o espírito de equipe entre os funcionários, e isso é algo muito positivo num ambiente de trabalho”, encerra.

 

São Paulo, 13 de setembro de 2013