Como organizar festas em condomínios

Escrito por 

A promoção de eventos coletivos é tendência nos residenciais dos grandes centros urbanos e ajuda a criar vínculo dos moradores com o espaço em que vivem.

Vencedor em anos anteriores do concurso Natal Iluminado, promovido pela Associação Comercial de São Paulo, o Condomínio Piazza Di Toscana inaugurou em 23 de novembro a decoração de 2013 com uma grande festa aos moradores. Houve sessões de caricatura, participação de coral, “feirinha” e brincadeiras entre as crianças. Na foto à esquerda, a síndica Ana Josefa Severino (à esq.) e a regente de um coral de mulheres da Vila Prudente, Nancy Guglielmo.

Da inauguração da decoração natalina, um dos pontos altos da programação anual do Piazza Di Toscana, da zona Leste da cidade, ao torneio de futsal promovido pelo residencial Jardins de Tamboré, a grade de eventos coletivos organizados pelos condomínios torna-se cada vez mais diversificada.

Há datas sagradas, como Festa Junina, Dia das Crianças, Halloween e Confraternização de Natal. Entretanto, cada empreendimento tem adaptado o cronograma ao perfil e necessidades de seus moradores; enquanto uns introduzem atividades no Carnaval e Páscoa e eliminam a comemoração do Dia das Mães e dos Pais, momentos mais familiares, outros não deixam de agregar ao seu calendário qualquer data ou motivo de festa.

O importante é que haja adesão, comenta a síndica Ana Josefa Severino, do Piazza Di Toscana, satisfeita com a grande participação dos moradores e de seus convidados nas festividades que tomaram a tarde e noite do dia 23 de novembro passado. Nesta data choveu quase ininterruptamente em São Paulo, mas o mau tempo não impediu que adultos e crianças usufruíssem do bazar de Natal de produtos vendidos pelos condôminos; das brincadeiras; e do acionamento, às 20hs, das cascatas padronizadas de luzes que enfeitam as fachadas de suas cinco torres, momento marcado pelo coral de mulheres do Círculo dos Trabalhadores de Vila Prudente.

DATAS, PRAZOS E CUSTOS

A decoração de Natal no Piazza tornou-se uma tradição não apenas pelos prêmios conquistados nos concursos da Associação Comercial de São Paulo, mas porque encerra o cronograma anual de eventos do condomínio. “Temos o Dia das Mulheres, das Mães, Festa Junina, Dia dos Pais, das Crianças, Halloween, Bazar de Natal e inauguração da decoração”, enumera a síndica, que conta com o auxílio de alguns moradores, como de Sueli Ripa Nayme, além do zelador e de um funcionário da manutenção. Para a decoração de Natal, os enfeites dos anos anteriores são recuperados e reaproveitados. Já para o bazar (que acontece no Dia das Mães e Natal), é cobrada uma pequena taxa de inscrição daqueles que irão vender os produtos.

O objetivo é “cobrir o aluguel das mesas e cadeiras”. “Não utilizo o dinheiro do condomínio”, diz Ana Josefa. Outra estratégia é também “cobrar um percentual das barraquinhas de comidas e bebidas da Festa Junina”. A administração chegou a cobrar convites de Festas Juninas anteriores, mas em 2013 os custos foram bancados por quem “trouxe os comes e bebes e os brinquedos (pula pula, cama elástica, pescaria etc.)”. “Cada um deu uma porcentagem do que vendeu. Achei que assim é bem melhor”, observa a síndica.

No Condomínio Villaggio Panamby, empreendimento de alto padrão da zona Sul de São Paulo, com cerca de 4.500 moradores, o financiamento dos seis eventos anuais vêm dos fornecedores (de bebidas, de restaurantes da região etc.), que pagam pelo uso da barraca e doam 30% dos valores arrecadados. E, na Festa Junina, há arrecadação também com o bingo e cobrança de ingresso. Este é o evento de maior adesão, com participação de até 2.500 moradores, afirma Perola Sarti, coordenadora do Comitê de Esportes, Lazer e Eventos.

Segundo ela, a Comissão, integrada por condôminos voluntários, organiza seis festas anuais: Carnaval (à beira das piscinas, com DJ e bandinha); Páscoa; a própria Festa Junina (com fazendinha, entre muitas outras atrações); Dia das Crianças; Halloween; e Natal. Ingressos são cobrados em outros eventos, como no Natal, quando é servido um buffet para as crianças e promovidas oficinas de guirlandas. Para estimar a infraestrutura conforme o número de presentes, Perola Sarti diz que a Comissão adotou um sistema de valores progressivos para os ingressos; quanto mais cedo houver a confirmação, menor o preço. Isso evita situações como a de um Dia das Crianças, em que apareceram 700 moradores para uma lista de apenas 140 confirmados.

A coordenadora afirma que a Comissão possui uma conta bancária própria, afinal, os valores envolvidos são bem elevados: a Festa Junina de 2013 custou R$ 90 mil, mas acabou dando lucro e ajudou a bancar a infraestrutura do evento deste final de ano. Perola acrescenta que todas as contas precisam ser aprovadas nas assembleias ordinárias do Panamby. A Comissão se reúne a cada 15 dias e já tem pronta a programação de 2014. Assim que estiver avalizada pelo corpo diretivo do condomínio, começarão os preparativos, afinal, para a Festa Junina, os fornecedores são confirmados em princípios do mês de fevereiro, evitando o risco de faltar bebida ou comida para os convidados.

Outra atividade que também mobiliza bastante os condôminos são os campeonatos esportivos. Neste ano, entre os dias 2 e 13 de dezembro, o Condomínio Jardins de Tamboré, em Santana do Parnaíba, promoveu seu 2º Torneio de Futsal. O síndico Paulo Eduardo Campos buscou seis cotas de patrocínio para bancar as camisas dos times, bolas, juízes e faixas de divulgação. Ele justifica que o acontecimento ajuda na “socialização dos moradores”, além de trazer os benefícios da prática esportiva.

Fotos: Rosali Figueiredo

Matéria publicada na edição - 186 de dez/2013 da Revista Direcional Condomínios