Condomínios residenciais tipo facilities ou concierge: moradia com jeito de hotel

Escrito por 

As metrópoles brasileiras começaram a exibir, de dez anos para cá, edifícios residenciais incorporados com alguns serviços da hotelaria, os chamados condomínios facilities ou concierge. São endereços exclusivos, alguns com fila de espera para aquisição ou locação, caso do Condomínio Edifício Habitat Cambuí, em Campinas, Interior de São Paulo. Egressa do setor hoteleiro, a gerente concierge do Habitat, Walmary Nunes, trabalha há onze anos no local, desde a implantação do condomínio. "Este é um conceito relativamente novo, de serviços hoteleiros num residencial, a arte de servir mesmo!", destaca.


Walmary Nunes, gerente concierge do Condomínio Habitat Cambuí (Em Campinas, SP)
Fotos Harisson Francisco (WalmarY) e João Henrique Martini (Fachada) 

Segundo Walmary, além de cuidar de toda parte operacional e de manutenção relativas a um condomínio padrão, o concierge exige ainda realizar um "atendimento personalizado e requintado aos moradores". "A pessoa se sente acolhida, esse é o principal diferencial." Na prática, isso implica em oferecer portarias com atendimento 24 horas, "uma recepção diferenciada com profissional bilíngue"; arrumação básica diária nos apartamentos; suporte de manutenção nas unidades; serviço de manobrista; pacote especial de tevê etc.

Os custos dos serviços estão embutidos na taxa mensal de rateio. Walmary compara que o condômino usufrui, nesse tipo de empreendimento, "de um atendimento personalizado com a de um hotel, mas bem mais barato". Já em relação a um residencial padrão, a taxa de condomínio do Habitat chega a dobrar.

A gerente afirma que o Habitat é o único condomínio dotado deste conceito na região de Campinas; o prédio dispõe de 112 unidades, com tamanho médio de 50 m². Entretanto, em São Paulo, Capital, alguns residenciais com perfil facilities ou concierge marcam a paisagem de determinadas regiões, como o Çiragan Home, no bairro de Cerqueira César.


Edifício Çiragan, em imagem do Street View 

Isabella Abalos, gerente de negócios de uma administradora especializada no segmento, e que atende o Çiragan, destaca que os seus ocupantes buscam o serviço de um hotel para o dia a dia, mas preferem morar num residencial. Seu perfil é constituído por casais sem filhos, jovens ou maduros, e pessoas solteiras, brindadas com um empreendimento diferenciado desde o projeto arquitetônico, até o tipo de serviço que disponibiliza. Alguns são cobrados no rateio mensal, outros no esquema pay-per-use, como o pet care (de banho, tosa e até hotelzinho para os animais de estimação dos moradores). O Çiragan foi implantado há nove anos, possui 300 unidades, das quais 252 residenciais. "É office e home, com entradas independentes."

A gerente de negócios observa que capitais como São Paulo e Rio de Janeiro possuem muitos empreendimentos do tipo, "mas os projetos hoje são mais tecnológicos, onde o condômino tem mais independência, com estrutura de serviços que ele consiga administrar". Por exemplo, com o pay-per-use, "ele possui mais autonomia para decidir o que quer pagar".

A gestão do condomínio é altamente profissionalizada, diz. "Trabalhamos forte com a qualidade, utilizamos o BSC [Balanced Scorecard, metodologia da área de gestão empresarial], que nos dá critérios e níveis de desempenho, pois nesse tipo de empreendimento se torna muito delicado cuidar da casa das pessoas".

Qualidade no atendimento, dicas para todos os tipos de condomínios

A gerente concierge Walmary Nunes enumera, a seguir, medidas que os síndicos de diferentes perfis de edifícios residenciais podem adotar para melhorar o atendimento e o ambiente do condomínio:

- Providenciar o treinamento dos funcionários, para que deem um atendimento padronizado a todos, em termos de postura, regras de conduta e apresentação pessoal;

- Nesse sentido, torna-se indispensável adotar uniformes e renová-los sempre que houver necessidade;

- Para a equipe operacional ou prestadores de serviços, implantar a gestão dos processos, elencando itens, prazos e procedimentos para manutenção periódica de elevadores, iluminação, reservatórios d'água, bombas, geradores etc.;

- Fornecer EPI (Equipamentos de Proteção Individual) para funcionários que desempenham tarefas que exigem proteção, como a limpeza;

- Deixar claras as regras e horários para uso dos espaços comuns; e,

- Promover eventos de confraternização entre os moradores (como a ação de Páscoa).

No Residencial Habitat Cambuí, Walmary utiliza-se, semanalmente, de outro recurso que ela considera eficaz para melhorar o relacionamento entre os gestores e os condôminos: a veiculação de um informativo às sextas-feiras, usado orientar os moradores quanto aos programas do condomínio (por exemplo, a coleta seletiva) e as normas internas.

Matéria complementar da edição - 211 - abr/2016 da Revista Direcional Condomínios

Não reproduza o conteúdo sem autorização do Grupo Direcional. Este site está protegido pela Lei de Direitos Autorais. (Lei 9610 de 19/02/1998), sua reprodução total ou parcial é proibida nos termos da Lei.