Instalações elétricas bem mantidas são uma garantia de segurança para o condomínio

Escrito por 

Uma pesquisa realizada pelo o Procobre - Instituto Brasileiro do Cobre, em parceria com a USP, FAAP, Universidade Mackenzie, Instituto de Ensino São Caetano do Sul e Senai, mostrou que é alarmante a falta de segurança nas instalações elétricas residenciais em São Paulo. Por falta de conhecimento da população e pela ausência de fiscalização, são utilizados produtos de baixa qualidade, que não seguem as normas de segurança.

A falta de manutenção, nas instalações mais antigas, ocasiona sobrecargas, curtos-circuitos, choques e até perda do patrimônio: segundo estatísticas do Corpo de Bombeiros, as instalações elétricas inadequadas são a segunda causa de incêndios no Estado de São Paulo. 

Diante desse quadro, o Procobre elaborou um guia da Norma Brasileira de Instalações Elétricas, a NBR-5410, norma técnica existente há 60 anos, mas ainda desconhecida por muitos profissionais eletricistas.

O guia da norma é ilustrado, com uma linguagem fácil de ser compreendida, e está disponível para download, no site www.procobrebrasil.org, ou pode ser solicitado pelo site www.arandanet.com.br. Também no site do Procobre, você pode avaliar o grau de qualidade e segurança de sua instalação elétrica, respondendo a perguntas sobre ocorrências na parte elétrica de sua casa. De acordo com suas respostas, você saberá se precisa chamar um eletricista.

Mas, em se tratando de condomínios, de nada adianta cada apartamento verificar o seu quadro de luz, fiação e equipamentos, se as instalações do prédio não estão em ordem. “Fazer uma manutenção preventiva, uma vez por ano, é questão de segurança e não apenas de economia”, atesta Rubens Leme, analista de marketing da Eletropaulo. Faça primeiro um histórico das contas de energia do condomínio, para verificar se o consumo vem aumentando (o que pode ser indício de problemas). Num circuito antigo sobrecarregado, por exemplo, o revestimento dos fios fica ressecado, podendo causar fuga de corrente ou até um curto-circuito. Confie a revisão das instalações sempre a um eletricista habilitado, o qual não deve esquecer de verificar se as emendas de fios, em pontos de luz nos jardins e escadas, estão bem isoladas. “Ele deve fazer uma contagem de carga e verificar se a fiação está adequada a essa carga”, explica Leme. Fiação inadequada provoca flutuação de tensão e queima prematura de lâmpadas. Em caso de problemas na entrada do prédio, pode ser necessária a presença de técnicos da Eletropaulo: nesse caso, oriente os funcionários do condomínio a facilitar a entrada dos eletricistas e de suas viaturas, desde que identificados.

São Paulo, 3 de novembro de 2009