Conselheiros - Quais suas funções

A função de cada um no condomínio

Evite problemas trabalhistas, organizando o organograma do condomínio. Funcionários e membros da administração devem ter suas funções bem definidas.

Para que as atividades cotidianas do condomínio fluam bem, com eficiência e prontidão, é fundamental que todas as pessoas responsáveis pela administração e manutenção do edifício conheçam suas atribuições e realmente a exerçam. 

Síndico, subsíndico, conselheiros, zelador, faxineiro, porteiro - cada “peça” do condomínio tem atividades bem definidas. A função de zelador é a que mais confusão pode gerar. Especialistas em condomínio afirmam: o zelador deve zelar pelo edifício. Porém, o conceito de zelar é bem amplo. “Muitos zeladores entram com uma reclamação trabalhista com pedido de acúmulo de função por fazer pequenos reparos dentro do condomínio”, cita a advogada empresarial e da área trabalhista e de condomínios Cíntia M. Leo Silva de Oliveira. 

Alguns julgamentos entendem que não é preciso pagar acúmulo de função nesses casos, pois também seria função do zelador a realização de pequenos consertos, comenta Cíntia. Outros juízes decidem o contrário. Para se prevenir contra resultados negativos, a advogada orienta os condomínios a realizar um contrato de trabalho com o zelador especificando suas funções. Cíntia cita o exemplo do zelador de um edifício comercial que cobre os horários de almoço e as férias da recepcionista, entrega correspondências, cuida do jardim e acompanha os prestadores de serviço no prédio. “Nesse caso, o condomínio paga acúmulo de função ao funcionário. Ou seja, um acréscimo de 20% sobre o salário”, explica.

Para Rosely Benevides de Oliveira Schwartz, administradora de empresas e professora de administração de condomínios na FMU, o zelador é o funcionário menos indicado do condomínio a quem deve ser pago acúmulo de função, já que ele tem o salário mais alto. “Se a questão é ter alguém para cobrir o almoço do porteiro, um faxineiro pode ser treinado para essa função. Às vezes, fica ainda mais barato contratar um folguista com salário de porteiro, que pode cobrir férias e folgas e também fazer a faxina”, orienta.

É comum ver zeladores pintando halls ou pequenas áreas, trocando luminárias ou reformando calçadas. “Para fazer esse tipo de serviço é mais indicado um empregado da área de manutenção. Mas, se o funcionário for contratado para a área de serviços gerais, ele não poderá exercer atividades de zelador”, esclarece Rosely, acrescentando que a tendência do mercado aponta para zeladores que não moram mais no prédio, mais conhecidos atualmente como gerentes prediais.

Quem é quem no condomínio

Síndico

É o representante legal do condomínio. Exerce a administração geral do condomínio, fazendo cumprir os artigos 1331 a 1358 do novo Código Civil, a Convenção do Condomínio e o Regimento Interno. O síndico pode ser condômino ou pessoa física ou jurídica estranha ao condomínio, salvo disposição contrária na Convenção. O síndico será eleito pela forma e prazo previstos na Convenção. O prazo do mandato é de dois anos, com direito a reeleição. Cabe ao síndico:

· Conhecer as leis que tratam de condomínios, a convenção e o regimento interno do prédio.

· Cumprir as decisões das assembléias.

· Elaborar, implantar e acompanhar o Programa de Manutenção Preventiva do condomínio, supervisionando as atividades de manutenção, conservação e limpeza das áreas comuns e equipamentos coletivos.

· Manter o arquivo do síndico sempre completo e em condições de consulta, transferindo toda a documentação do condomínio para o novo síndico através da ata da eleição.

· Proceder a cobrança imediata e efetiva dos condôminos inadimplentes.

· Contratar uma boa administradora para assessorá-lo, garantindo o cumprimento das leis previdenciárias, trabalhistas, fiscais e as específicas de condomínios (por exemplo, Auto de Vistoria de Segurança, Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros, Cipa e Brigada de Incêndio).

· Solicitar a participação efetiva do corpo diretivo: subsíndico, conselho fiscal e consultivo, se houver, pedindo uma análise rápida das pastas de prestação de contas.

· Manter-se atualizado através de publicações específicas, feiras, cursos, eventos e palestras. 

Subsíndico

Nem sempre a função de subsíndico consta das convenções de condomínios, mas é recomendável que ela exista. O subsíndico também é eleito em assembléia e ele deve substituir o síndico em suas ausências ou impedimentos. O período de seu exercício não deve ser superior a 30 dias. Em casos de renúncia, destituição, morte ou qualquer outro impedimento do síndico, cabe ao subsíndico convocar a assembléia geral para nova eleição.

Conselheiros

O Conselho Fiscal é composto de três membros e exerce função de fiscalização nas contas do condomínio. O mandato dos conselheiros não é irrevogável, podendo ser destituídos a qualquer tempo pelas assembléias gerais. Se estiver previsto na Convenção, o corpo diretivo do condomínio poderá contar ainda com Conselho Consultivo, órgão de consulta do síndico, também formado por três membros. Os conselheiros poderão exercer as seguintes funções:

· Conferir periodicamente as contas do condomínio, comparando-as com os comprovantes originais.

· Analisar as contas apresentadas pelo síndico.

· Emitir parecer sobre as contas e apresentá-lo em assembléia geral.

· Autorizar o síndico a efetuar despesas extraordinárias não previstas no orçamento.

· Elaborar um regulamento e as alterações que forem necessárias para o uso das partes recreativas do condomínio, sem que haja disposições contrárias ao estabelecido na Convenção.

· Auxiliar o síndico em suas atividades.

Zelador

Algumas das funções do zelador:

· Distribuir os serviços, materiais e equipamentos do dia aos faxineiros e fiscalizar os trabalhos.

· Examinar o funcionamento dos elevadores e das bombas d’água.

· Fiscalizar a retirada do lixo e sua coleta.

· Trocar lâmpadas queimadas.

· Verificar se o fornecimento de água está ocorrendo e avisar os moradores em caso de qualquer problema.

· Em caso de mudanças, proteger os elevadores com acolchoados apropriados.

· Manter em bom estado de conservação o apartamento onde mora.

· Atender todos os condôminos com delicadeza, respeito e, acima de tudo, imparcialidade.

· Evitar comentários e ser sempre discreto.

· Zelar pelo jardim do prédio evitando a destruição de plantas e regá-las, quando não houver funcionário exclusivo para isso.

· Levar imediatamente ao conhecimento do síndico, de forma imparcial, qualquer problema ocorrido no prédio. 

 

Fontes:

Revolucionando o condomínio - Rosely Benevides de Oliveira Schwartz

Manual do Síndico com base no novo Código Civil - publicação do Secovi-SP

Manual das Áreas Comuns - Programa de Manutenção Preventiva - publicado pelo Sinduscon-SP e Secovi-SP 

   


 

 Fornecedores:   

          - Terceirização

          - Síndico profissional 

 


Empresas Administradoras:

Banner
Banner
Banner

Adriana Jazzar

Geógrafa graduada pela PUC de São Paulo com MBA em Gestão Ambiental e Mestre em Tecnologia Ambiental pelo IPT. Leia artigos

Ana Luiza Pretel

Advogada, administradora de empresas, palestrante, professora universitária. Leia artigos

Cristiano de Souza Oliveira

Advogado e consultor Jurídico na área condominial,sócio consultor da DS&S Consultoria e Treinamento Condominial. Leia artigos

Edson Martinho

Engenheiro Eletricista, presidente da ABRAEL e diretor-executivo da Abracopel. Leia artigos

Hernán Vilar

Psicólogo graduado pela UMESP e Pós- Graduado em Administração de Empresas pela FGV. Leia artigos.

Luís Renato Mendonça Davini

Graduado em Ciências Jurídicas pela Universidade São Francisco, o delegado Luís Renato é consultor de segurança da Asertec. Leia artigos.

Kelly Remonti

É síndica Condomínio Top Village, localizado em Alphaville, Grande São Paulo. Leia artigos.

Michel Rosenthal Wagner

Advogado, membro técnico das vice-presidências de Sustentabilidade e de Administração Imobiliária e Condomínios do Secovi em São Paulo. Leia artigos

Nelson Luiz Raspes

Psicólogo com formação em Dependência Química. Atua há treze anos junto ao Centro de Tratamento Bezerra de Menezes. Leia artigos

Paulo Caldas Paes

Advogado formado pela Universidade Paulista (UNIP) e autor de diversos artigos jurídicos na área imobiliária. Leia artigos

Ricardo Karpat

Diretor da Gábor RH, Administrador de Empresas, com experiência de 12 anos no segmento de condomínios. Leia artigos

Roberto Boscarriol Jr.

Graduado em Engenharia pelo Instituto Mauá de Tecnologia. Formado em 1972

Roberto Flores Freitas

Oficial da Reserva da Polícia Militar do Estado de São Paulo; Sócio-proprietário do Grupo Alpha Serviços

Rodrigo Karpat

Advogado e especialista em Direito Imobiliário e administração condominial. Leia artigos

Rosely Benevides de Oliveira Schwartz

É autora do livro Revolucionando o Condomínio, professora do curso de Administração de Condomínio ministrado pela EPD. Leia artigos

Cadastre-se e receba nossos informativos