Dicas para montar uma sala de ginástica

O professor de Educação Física Jorge Gonçalves, que dá consultoria para montagem de academias e salas de ginástica de condomínios, tem percebido que os síndicos preferem a assessoria de um profissional do setor ao comprar os aparelhos. A economia gerada na compra dos aparelhos paga a consultoria e ainda sobra dinheiro, segundo Jorge, para o condomínio. “A maioria dos vendedores querem empurrar tudo, mas não necessariamente o mais caro é o que o condomínio precisa”, diz. Anote as principais dicas do professor para montar, com sucesso, a academia do seu prédio:

› Faça uma pesquisa no prédio, para identificar quantas pessoas vão utilizar a academia e o que preferirão utilizar. Segundo Jorge Gonçalves, essa é a melhor maneira de traçar um perfil do que os moradores gostam mais (bicicleta, corrida, exercícios localizados ou musculação, por exemplo) e se a maioria dos usuários serão homens ou mulheres. “Para mais mulheres, deve-se comprar mais tornozeleiras, já que elas fazem mais exercícios para os glúteos”, exemplifica o professor. 

› Preocupe-se, agora, com o espaço físico da sala de ginástica. “Prédios antigos, que não têm esse ambiente definido, aproveitam uma sala que não se usa para nada, normalmente sem ventilação, e que se transforma num verdadeiro mico”, conta Jorge. Para piorar, muitas vezes há carpete no chão. O suor dos atletas, somado à falta de janelas e de sol, resulta em mau cheiro e ambiente inviável para o esporte. A solução é escolher a sala adequadamente, colocando um piso apropriado, se necessário.

› Uma prática simples, e que muitos desprezam, é anexar à sala os acessórios de ginástica. Com cerca de R$ 1 mil, é possível comprar uma série de acessórios de uso garantido, como: caneleiras, pesinhos de mão, colchonetes, anilhas, barras, aparelhos abdominais e banquinho de supino.

› O último passo é a compra efetiva dos aparelhos. “É fundamental escolher equipamentos profissionais ou semiprofissionais, nunca residenciais”, define o professor Jorge Gonçalves. Uma esteira doméstica, por exemplo, será utilizada por uma ou duas horas diárias. Já no condomínio, ela pode ser usada durante todo o dia, por pessoas de diferentes pesos – portanto, seu motor deve ter uma capacidade grande, de 2 a 2,5 HP. Um detalhe importante: o zelador precisa conhecer a manutenção básica, necessária para o bom funcionamento dos aparelhos (vincule o treinamento do zelador já na hora da compra dos produtos). 

Seguir esse passo a passo é uma garantia para obter uma sala de ginástica elogiável. “É possível dimensionar o investimento do condomínio”, explica Jorge, que calcula em R$ 1 mil o custo por metro quadrado de uma sala de bom porte.

Fonte: Professor de Educação Física Jorge Gonçalves


>> Leia mais sobre este assunto




 Fornecedores:

          - 
Ginástica

 

 

Fornecedores: Fitness equipamento

Banner